PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 26 DE SETEMBRO DE 2017 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

17 DE MARÇO DE 2017

Presidente do Sindifisco vê 'supressão de benefícios' com reforma


Para Antônio José Furlan, governo propõe reforma sem discutir com a sociedade, prejudicando quem ganha menos.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 (1 de 2) Salvar imagem em alta resolução

José Furlan

José Furlan
Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 (2 de 2) Salvar imagem em alta resolução

Mário Medeiros

Mário Medeiros
Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

José Furlan


Presente no ato realizado na Câmara na tarde desta sexta-feira (17), Antônio José Furlan, presidente do Sindifisco Nacional (Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil) em Piracicaba, disse que auditores com representações pelo país têm promovido seminários para esclarecer a população sobre o que é a reforma da Previdência proposta pela administração Michel Temer (PMDB).

"Entendemos que o governo está fazendo isso de uma forma sem discutir com a sociedade, e quem está sendo prejudicado é aquele que ganha menos. Estamos falando de supressão de benefícios", comentou Furlan, ao observar que desde 2011 a folha de pagamento de empresas de vários setores tem sido beneficiada com desonerações.

Mário Medeiros Neto, presidente da Aojesp (Associação dos Oficiais de Justiça do Estado de São Paulo), afirmou haver uma "guerra de informação" que precisa ser combatida. "A população precisa ser conscientizada para saber exatamente o que está ocorrendo e não ficar com a mentira que o governo paga para divulgar."

Ele citou o exemplo de duas reportagens falaciosas: uma exibia a Avenida Paulista, em São Paulo, "tomada de gente contra a reforma da Previdência", e outra mostrava uma senhora de 80 anos que segue trabalhando. "É a contrainformação a serviço do governo, que está pagando muito caro por isso. A propaganda do governo federal é mentirosa, tanto que foi retirada do ar por uma juíza do Rio Grande do Sul."

O presidente da Aojesp disse que a reforma proposta representa a extinção da Previdência Social, "uma forma de arrecadação do governo sem contrapartida para o trabalhador", e destacou a importância de reagir a ela fazendo uso de informações corretas.

"Um motorista de táxi em São Paulo me falou: 'Se sair a reforma da Previdência, meu filho vai se aposentar'. Eu disse: 'Não, pelo contrário! Se sair a reforma da Previdência, seu filho não vai se aposentar nunca, ele vai só contribuir a vida toda'", concluiu Medeiros Neto, para quem "os jovens devem ser parte ativa nessa ação, pois são o futuro do país".



Texto:  Lucas Lima
Supervisão:  Ricardo Vasques - MTB 49.918


Tópicos: Reforma da Previdência

Notícias relacionadas