PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 17 DE DEZEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

07 DE AGOSTO DE 2018

Radialista cobra qualificação para melhorar atendimento na saúde


Jânio Duarte Passarini ocupou a Tribuna Popular na noite desta segunda-feira.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Jânio Duarte Passarini ocupou a Tribuna Popular na noite desta segunda-feira






Ao ocupar a Tribuna Popular durante a 41ª reunião ordinária, na noite desta segunda-feira (6), o radialista Jânio Duarte Passarini defendeu que profissionais da rede pública de saúde passem por reciclagem e treinamento para qualificar o atendimento prestado à população. Ele reproduziu críticas de pessoas que procuram meios de comunicação para reclamar da forma como são tratadas quando buscam unidades de saúde e pronto-socorros.

Na avaliação de Passarini, com esses comportamentos, os funcionários "demonstram claramente que detestam o que estão fazendo" e, portanto, deveriam ser "retirados da linha de frente", responsável pelo primeiro contato com a população que procura atendimento. "É uma vergonha. Ninguém está pedindo favores, é dinheiro nosso", comentou.

Em seguida, o vereador Pedro Kawai (PSDB) reconheceu que existem problemas, mas ponderou ser comum, na área da saúde, o funcionário receber "grande carga de agressões verbais". "Nada justifica a falta de educação, mas temos que entender como esse funcionalismo está reagindo a essa carga. Não podemos colocar todos no mesmo balaio", pontuou.

O vereador Osvaldo Schiavolin, o Tozão (PSDB), concordou com a necessidade de os funcionários passarem por reciclagem como forma de melhorar a qualidade do atendimento. Ele lembrou já ter lidado com situações em que foi destratado. "Já sofri isso e não achei bom."

Passarini ainda contestou, na Tribuna Popular, a decisão da Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes) de baixar em algumas vias da cidade a velocidade máxima permitida. Ele citou o exemplo da avenida 31 de Março, em que o limite foi reduzido de 60 km/h para 50 km/h. "Muitas pessoas estão perdendo a habilitação por excesso de velocidade. O que se nota é que temos uma 'indústria de multas'", afirmou.

O vereador Dirceu Alves da Silva (SD) disse não concordar com as decisões de reduzir a velocidade máxima permitida, enquanto a vereadora Adriana Cristina Sgrigneiro Nunes, a Coronel Adriana (PPS), observou que os limites são determinados pelo Código de Trânsito Brasileiro e que cabe discussão sobre o assunto.



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Tribuna Popular

Notícias relacionadas