PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

20 DE JULHO DE 2018

Fórum propõe Educação Ambiental de “forma mais intensa” ao Executivo


Documento entregue ao Ipplap, no último dia 13, destaca ações para ampliar conscientização ambiental



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução


O Fórum de Gestão e Planejamento Territorial Sustentável apresentou propostas para que o Executivo Municipal atue de “forma mais intensa” nas questões relacionadas à Educação Ambiental. Um destas é a multiplicação do NEA (Núcleo de Educação Ambiental) em espaços “potencialmente educadores”, de acordo com a relevância socioambiental nas diversas regiões do Município.

A vereadora Nancy Thame (PSDB), co-autora do Fórum juntamente com o vereador Paulo Serra (PPS), destaca que as propostas ampliam o leque de ações a serem implementadas. Ela cita o Programa Trilhas Urbanas, como meio de valoração do Patrimônio Histórico, Cultural e Arquitetônico; Trilhas Ecológicas, como meio de incentivar o ecoturismo, a educação ambiental e a recomposição das matas existentes; e ainda os Corredores Ecológicos no sentido de estabelecer a conectividade entre as Unidades de conservação e outras áreas que já são protegidas.

O documento entregue na última sexta-feira (13) a Arthur Ribeiro, diretor-presidente do Ipplap (Instituto de Pesquisa e Planejamento de Piracicaba), e apresenta conteúdos em Planos Municipais, Educação Ambiental, Desenvolvimento Rural e Mobilidade Urbana.

“Instrumentos urbanísticos adequados tornam-se ferramentas eficazes para promover transformações nas cidades. Foi nesse sentido que integrantes do Fórum Permanente de Gestão e Planejamento Territorial Sustentável propuseram demandas ao Plano Diretor do Município, no sentindo de maior implementação de projetos de conservação, recuperação e melhoria do meio ambiente e da qualidade de vida, incluindo a participação da sociedade, garantindo a integração ao mundo contemporâneo e fortalecendo a identidade local”, afirmou a vereadora Nancy Thame. 

Também foram acrescentadas as ZEIAS (Zonas Especiais de Interesse Ambiental), porções do território localizadas na Zona de Estruturação e Qualificação Urbana destinadas à preservação e proteção do patrimônio ambiental e que têm como atributos significativos maciços remanescentes de vegetação nativa, com diferentes graus de regeneração, alto índice de permeabilidade e que prestam relevantes serviços ambientais, dentre eles a conservação da biodiversidade. 

Participante do Fórum de Planejamento Territorial Sustentável, o ambientalista Bruno Fernandez, que atua na OCA – Laboratoório de Educação e Política Ambiental da Esalq/USP (Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”), coloca a proposta no contexto da Educação Ambiental. “Pensamos a ZEIAS e também as ZEIHCAs (Zonas Especiais de Interesse Histórico, Cultural e Arquitetônico)”, disse.

“A ideia é incluir a ZEIA no rol das zonas que integram a Macrozona Urbana para que possam se tornar instrumento mais visível no Município, com maior facilidade para serem instituídas de acordo com as características ambientais”, destacou Aline Gallo.

Outra questão apresentada ao Ipplap foi a implementação de diretrizes na Política Ambiental Municipal como conceito de construções sustentáveis nas Escolas da Rede Municipal de Ensino, prédios da Administração Pública Direta e Indireta; imposição de responsabilidade objetiva pela gestão responsável e manejo adequado de resíduos produzidos em eventos de caráter público ou privado, realizados em espaços públicos.

“Precisamos elaborar projetos de lei que responsabilize a gestão responsável e o manejo adequado de resíduos produzidos em eventos realizados em espaços públicos e propor medidas educadoras a serem aplicadas ao público, como, por exemplo, na Festa das Nações, Festa do Peão, Quermesse, Festa do Divino, Carnaval de Rua, Parada LGBT e outros”, enfatiza o economista Rafael Rodrigues.

A parlamentar informou que a próxima reunião do Fórum Permanente de Gestão e Planejamento Territorial Sustentável acontece na próxima sexta-feira (27), na qual os integrantes farão balanço das propostas enviadas e alinhamento na Conferência Municipal da Revisão do Plano Diretor, prevista para sábado (28), no auditório do Centro Cívico da Prefeitura de Piracicaba.



Texto:  Assessoria parlamentar
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337


Tópicos: Fórum Gestão e Planejamento Territorial SustentávelNancy Thame

Notícias relacionadas