PIRACICABA, QUINTA-FEIRA, 27 DE JULHO DE 2017 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

08 DE SETEMBRO DE 2015

50 anos do Estádio Barão da Serra Negra


Arquivo da Câmara disponibiliza documentos sobre o Estádio Barão da Serra Negra



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução

Acervo Zinsly de Mattos


Em comemoração aos 50 anos da inauguração do Estádio Municipal Barão da Serra Negra, a Câmara de Vereadores recuperou dois documentos importantes que estão no Arquivo do Poder Legislativo e que registram parte da história do estádio: a Lei Municipal Nº. 924/1960, que autorizou a construção do estádio, cujo projeto traz detalhes sobre a edificação; e a Lei Municipal Nº. 1.365/1965, que dá o nome ao Estádio Municipal de Barão da Serra Negra, fazendo jus ao antigo Parque Barão da serra Negra, local escolhido para a construção do estádio.

A cópia destes dois documentos foram depositadas na Cápsula do Tempo, enterrada no Estádio, no dia 04 de setembro de 2015, junto ao marco das bandeiras, atrás do gol esquerdo. 

Texto: Fábio Bragança 

A HISTÓRIA – É na gestão do prefeito Samuel de Castro Neves que surge a ideia de construção de um estádio para abrigar as atividades esportivas na cidade. Ele assinou, em 3 de julho de 1953, a lei 368, que possibilitou a desincorporação da classe de bens de uso comum do povo e transferência para a classe de bens patrimoniais da área de 48.762,52 metros quadrados.

A autorização para o início das obras se dá por meio do ex-prefeito Francisco Salgot Castillon, que publicou a lei 924, em 24 de novembro de 1960. A construção tem início no ano seguinte.

A inauguração, em 4 de setembro de 1965, é feita pelo prefeito Luciano Guidotti. Houve jogo entre o XV de Novembro e Sociedade Esportiva Palmeiras – com empate – e público de 15.674 pessoas. O primeiro gol no gramado do Barão aconteceu em 11 de setembro de 1965, na partida entre o XV de Piracicaba e Corinthians. Já o nome oficial – Estádio Municipal Barão da Serra Negra – acontece por meio da lei municipal 1.365/1965.

Texto:Rodrigo Alves - MTB 42.583



Texto:  Fábio Bragança




Tópicos: História

Notícias relacionadas