PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

17 DE AGOSTO DE 2018

Paulo Serra enaltece o surgimento da vida e apresenta dados políticos


O parlamentar também destacou o Dia dos Cardiologistas, 14 de agosto



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Paulo Serra enaltece o surgimento da vida e apresenta dados políticos






Quarto Orador a ocupar a Tribuna da Câmara, na 44ª reunião ordinária de ontem (16), o vereador Paulo Serra (PPS) iniciou suas considerações parabenizando a todos os cardiologistas e, das homenagens que recebeu pelo dia 14 de agoto. E, apresentou um filme com aspectos sobre o abordo, para mostrar o início da vida, na fase embrionária, onde bilhões de espermatozoides se encontram com o óvulo, indo em direção ao útero, onde começa a multiplicação, sendo que em cinco semanas já tem o coração, na sexta semana o bebê já começa a se esboçar, em 10 semanas já começa a ter a sensibilidade de escutar, 18 semanas o bebê já começa a ter comportamentos mais agressivos, para em 35 semanas já se inteirar com todos, concluindo o nascimento, na 42ª semana, para mostrar a trajetória da vida, sendo uma asneira a discussão de se tirar uma vida ou não. "Isto jamais deveria passar na mente humana. É autorizar um assassinato", concluiu Paulo Serra, na defesa da vida.

O parlamentar também falou um pouco sobre a política brasileira, de um país com 11 milhões de analfabetos, estando no ranking 37º entre os 38 países, onde estamos muito aquém do que precisa, com o país cada vez mais deteriorado.

Serra também citou os casos de filhos de juízes, que recebem pensões mensais até os 24 anos. E, ainda citou a verdadeira "vergonha nacional", que representa o foro privilegiado a certas pessoas. Além de apresentar números discrepantes das aposentadorias, a exemplo do presidente Temer, que recebe R$ 68 mil.

Paulo Serra também apresentou o grande número de sindicatos, mais de 17 mil, que muito das vezes atuam "só para tirar dinheiro do trabalhador", disse. Também falou dos impostos, de somatórias de suplantam bilhões e, do alto custo da Câmara dos Deputados e do Senado.

"Não venda o seu voto, a mudança acontece na votação, é um apelo que faço à população", concluiu o parlamentar. 



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Reunião OrdináriaPaulo Serra

Notícias relacionadas