PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 20 DE NOVEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

25 DE SETEMBRO DE 2018

Vereador Paraná defende regularização de vielas no bairro Algodoal


O parlamentar apresenta três projetos que reverenciam a memória de cidadãos, além de prestar serviços à população, em contas de água e luz, com a denominação de ruas.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Vereador Paraná defende regularização de vielas no bairro Algodoal



"Acreditamos que ao denominar uma via pública, prestamos relevantes serviços, primeiro reverenciado a memória de uma pessoa e, depois, regularizando uma situação que há anos vem se arrastando nas questões de sinalização de trânsito e, principalmente nos serviços de correio, na entrega de correspondências como, água, luz e telefone". Com este princípio, o vereador Aldisa Vieira Marques, o Paraná (PPS) defende o teor de três projetos de lei: 99-97-95/2018, que denominam as vielas 1, 2 e 3, do loteamento Núcleo Habitacional Algodoal.

Na 54ª ordinária de ontem (24), o parlamentar solicitou o pedido de retirada dos três projetos de denominação, na expectativa de que a Emdhap (Empresa Municipal de Desenvolvimento Habitacional de Piracicaba) reconheça estas três vielas, que se tornariam vias públicas, a serem denominadas de acordo com a legislação pertinente. O parlamentar reiterou a disposição de aguardar os encaminhamentos jurídicos da autarquia, para que os projetos retornem à Pauta da Ordem do Dia, na Câmara.

No projeto 99/2018, o vereador Paraná propõe a denominação de "Felipe da Cruz Santos", a Viela 03 (Três), localizada na Vila Emdhap, na avenida Cristóvão Colombo, altura do número 1651. 

A consideração é que o adolescente Felipe Da Cruz Santos nascido em 05 de junho de 2004, em Piracicaba e, falecido em 30 de julho de 2017, sempre viveu no bairro Algodoal, onde fez muitos amigos. Era uma pessoa alegre, querido pela comunidade, estudioso, cursava o 2º ano do ensino médio, sendo que veio a falecer devido à uma fatalidade, onde ao retornar para casa foi alvejado por uma arma de fogo, sofrendo um trauma crânio encefálico, sendo que mesmo em meio ao sofrimento da perda, a família permitiu a doação de órgãos, como córneas, pulmão e fígado, o que possibilitou salvar outras vidas. 

"Não havia nenhuma dúvida que Felipe seria um grande ser humano, dotado de um grande amor pelo próximo, deixando um lindo legado, de carisma e muitas saudades, aos familiares e amigos", destaca o parlamentar. 

No projeto 97/2018, o vereador Paraná defende a denominação de "Sérgio José Vila Nova", a Viela 02 (Dois), também localizada na Vila Emdhap, avenida Cristóvão Colombo, altura do número 1651, no bairro Algodoal. A propositura tem por finalidade homenagear de forma pública Carlos Dias Soares, que foi morador antigo do bairro, sendo que esta rua, sem denominação causa transtornou aos moradores, nas questões de sinalização e serviços dos correios. 

Sérgio José Vila Nova nasceu em 23 de junho de 1973, na cidade de São Paulo, filho de José e Lúcia. Veio para Piracicaba no ano de 1992, onde construiu sua residência  no bairro Algodoal. "O cidadão era muito querido pela população e moradores do bairro, devido ele ser extrovertido e amigo de todos. Sérgio faleceu no dia 2 de julho de 2012, deixando saudades aos familiares e amigos", enfatizou Paraná no teor do projeto de lei. 

No projeto de lei 95/2018, o vereador Paraná defende a denominação de "Viela Carlos Dias Soares", a Viela 01 (Um), localizada na Vila Emdhap, na avenida Cristovão Colombo, também na altura do número 1651, loteamento Núcleo Habitacional Emdhap. 

A propositura visa homenagear de forma pública Carlos Dias Santos, que foi morador do bairro, sendo que também a falta de denominação desta rua causa transtornos aos moradores devido aos serviços básicos, na entrega das correspondências. 

Carlos Dias Soares nasceu em 10 de outubro de 1967, na cidade de Marumbi (PR), filho de Manoel e Iracema. Veio para Piracicaba no ano de 1988, onde construiu sua residência no bairro Algodoal. Ficou conhecido por todos do bairro, com sorriso constante e disposto a ajudar a comunidade, sempre ajudando o próximo. 

Era amado e conhecido por todos, Carlos faleceu de insuficiência respiratória no dia 22 de janeiro de 2008, deixando sua única filha Cristiane e um lindo legado de honestidade e cidadania aos seus amigos. 

 

 



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: Reunião OrdináriaAldisa Marques

Notícias relacionadas