PIRACICABA, QUINTA-FEIRA, 13 DE DEZEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

25 DE JULHO DE 2018

Longatto defende criação de represas em ribeirões


Presidente do Fórum Permanente em Defesa do Rio Corumbataí, parlamentar destaca alternativa para captação de água



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Longatto em uma das ações em defesa da bacia do rio Corumbataí



Foco de discussão intensa neste primeiro semestre de 2018, a captação de água no Município pode ganhar reforço com a construção de represas nos quatro principais ribeirões de Piracicaba. “Quando se estudava a busca por novas fontes, chegou-se a cogitar estes mananciais, e isso é possível fazer”, diz o vereador José Aparecido Longatto (PSDB), presidente do Fórum Permanente em Defesa do Rio Corumbataí. 

Ele informa que tem conversado com o prefeito Barjas Negri (PSDB) a realização de estudos para que os ribeirões Tamandupá, Paredão Vermelho, Pau d’Alho e Congonhal tenham sistema de represamento de água para servirem como alternativa á capitação atual feita no rio Corumbataí. “Estes locais têm água de qualidade, com excelente PH e boa oxigenação, temos condições de captar de lá”, defende. 

A proposta surge em um momento em que a cidade discute a criação de empreendimento imobiliário em terreno próximo ao rio Corumbataí, na região norte da cidade. Neste semestre, foi aprovada a possibilidade de construção de cerca de mil casas em área que fica próxima do manancial. Embora Longatto acredite que isso não criará dificuldade para a captação de água – que fica a cerca de dois quilômetros de distância do novo bairro –, é preciso buscar alternativas. 

“Quando a Prefeitura encaminhou o projeto de Operação Urbana Consorciada, eu não via nenhum impedimento para aprovar o empreendimento”, disse. “Toda construção deverá ser feita dentro das leis, a partir de estudos de impacto de vizinha e também de impacto ambiental”, avalia. Mesmo assim, ele acredita que a cidade precisa olhar outras possibilidades de captação de água por conta do crescimento populacional e pela demanda crescente de recursos naturais nos próximos anos. 

“Eu fico muito à vontade para falar sobre o rio Corumbataí, porque eu conheço essa bacia de jusante a montante”, disse. Ele relatou que, neste ano, já teve diversas reuniões junto aos órgãos de defesa ambiental da Promotoria do Estado de São Paulo para frear empreendimentos irregulares contra o manancial. 

“Havia algumas mineradoras de extração de areia que estavam instalando produção na cabeceira do Ribeirão Cabeça, principal afluente do Passa Cinco (que deságua no rio Corumbataí), e pelo nosso trabalho, consegui que o prefeito da cidade de Itirapina fosse chamado para conversar com o doutor Ivan Carneiro, do Gaema/MP, com o objetivo de frear essas instalações que seriam prejudiciais”, disse. 

Longatto destaca que a defesa ambiental precisa ser constante e, no caso das bacias hidrográficas da região, precisam ser focadas na gestão do lixo doméstico e industrial, do esgoto e das nascentes. “Depois de tanto falar da importância da preservação ambiental, as cidades que estão na região da nossa bacia estão ajudando bastante e acredito que Piracicaba não terá problema com a falta d’água”, disse.



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: LegislativoJosé Longatto

Notícias relacionadas