PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

04 DE SETEMBRO DE 2018

Erler lista ações da Câmara em campanha por correção da tabela do IR


Além de coletar adesões para abaixo-assinado, Legislativo sediará audiências públicas sobre o tema.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Matheus Erler ocupou a tribuna durante a reunião ordinária desta segunda-feira






Liderada pelo Conespi (Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba), a campanha "Correção da Tabela do Imposto de Renda Já! Chega de Injustiça Fiscal" contará com diversas ações da Câmara de Vereadores de Piracicaba, apoiadora da causa. Elas foram elencadas pelo presidente Matheus Erler (PTB) na tribuna, durante a 49ª reunião ordinária, nesta segunda-feira (3).

Estão previstas, pelo Legislativo, a realização de audiências públicas sobre o tema e a elaboração de moção de apelo a ser enviada ao Congresso Nacional e ao governo federal. A Casa também está atuando como ponto de coleta para o abaixo-assinado pela correção da tabela e dará suporte, via site oficial, Rádio Câmara Web e TV Câmara, no desenvolvimento de campanhas institucionais.

Erler chamou a atenção para as perdas que os contribuintes vêm tendo, ao longo das últimas décadas, por conta da falta de reajustes da tabela pela inflação do período. "De 1996 até hoje, a tabela foi corrigida em 109,63%, enquanto a inflação acumulada foi de 294,93%. É uma diferenca brutal e discrepante, que mostra uma injustiça que lesa principalmente aqueles que mais precisam."

O presidente do Legislativo piracicabano observou que chega a 88,4%, hoje, a diferença entre os valores vigentes na tabela e aqueles que deveriam vigorar, considerando a inflação acumulada. "Caso houvesse atualização, seriam isentas do pagamento do Imposto de Renda todas as pessoas físicas que percebessem uma renda de até R$ 3.556,56", disse Erler, ao lamentar que, atualmente, a isenção contempla apenas os que têm renda de até R$ 1.903,98.

"O que acontece, em suma, é que o aumento que essas pessoas têm em seus salários, ao longo do ano, acaba sendo 'comido' pelo Imposto de Renda, não resultando em aumento real", acrescentou o vereador.

Erler falou, ainda, da mobilização que a Câmara pretende liderar, em parceria com o Poder Legislativo de municípios da região, ante os rumores, manifestados via meios de comunicação, de que o governo do Estado planeja conceder à iniciativa privada as rodovias Luiz de Queiroz, Geraldo de Barros e Hermínio Petrin, atualmente administradas pelo DER (Departamento de Estradas e Rodagem).

O vereador disse ser necessário impedir que tais rodovias sejam "pedagiadas". "O que acontece é que se gasta um absurdo num recapeamento que está sendo mal feito e passa a impressão para a população de que, de fato, o governo do Estado não consegue gerir obras básicas, dando a falsa sensação de que é melhor pagar pedágios do que ter uma rodovia esburacada perante a incompetência do Estado, a qual não pode ser descontada do bolso da população", afirmou Erler



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: LegislativoMatheus Erler

Notícias relacionadas