PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 11 DE DEZEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

23 DE FEVEREIRO DE 2018

Vereadores destacam importância da nova UPA Vila Cristina


O reforço na saúde para a região do bairro Vila Cristina contempla inúmeras indicações e requerimentos enviados ao Executivo



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Vereadores destacam importância da nova UPA Vila Cristina






Diversos vereadores, nas reuniões extraordinárias de ontem (22) solicitaram pela Ordem, em comentários que reforçam as obras de construção da Nova UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Cristina.

O vereador Wagner Alexandre de Oliveira, o Wagnão (PHS) enfatizou a colaboração dos parlamentares na concretização deste projeto, de autoria do Executivo, que beneficiará a população da região do bairro Vila Cristina.

O vereador Gilmar Rotta (MDB) lembrou que a ideia da criação da UPA da Vila Cristina foi do secretário municipal de Saúde, Pedro de Mello, na gestão do ex-prefeito Gabriel Ferrato, quando foi elaborado o projeto, que até passou pela justiça, devido ao proprietário da área não concordar com os valores arrolados. E, que no local do antigo pronto socorro será abrigado o Hospital Dia, para atender drogaditos. Gilmar concluiu que a obra teve sim o apoio de dois prefeitos, sendo que Barjas Negri foi até Brasília buscar recursos junto ao Ministro José Serra.

O vereador Paulo Campos (PSD) também reconheceu a importância desta obra para a região do Vila Cristina, lembrando que neste empreendimento foi de fundamental importância a atuação do prefeito Barjas junto ao Ministro José Serra, na obtenção de verba de R$ 6 milhões para o projeto. Ainda considerou o caráter privativo do Executivo, na apresentação de projeto como este. Além de lembrar que o vereador Laércio Trevisan Jr. (PR) chegou a elaborar emenda no Orçamento Municipal para a construção desta UPA. Campos também retificou a fala do vereador Gilmar Rotta sobre a destinação do antigo pronto socorro, que agora abrigará uma unidade do Caps, voltado aos doentes mentais.

O líder de governo na Câmara, José Aparecido Longatto (PSDB) complementou a discussão sobre o assunto lembrando que acompanhou a conversa do prefeito Barjas com o Ministro José Serra, o que resultou na conquista de R$ 6 milhões para a UPA da Vila Cristina e mais R$ 1 milhão na região Norte de Piracicaba, especificamente ao Residencial Parque Piracicaba, com vistas à ampliação da UPA para atender um maior número da população. O parlamentar informou que o total dos recursos federais são da ordem de R$ 7,3 milhões.

O presidente da Câmara, Matheus Erler (PTB) focou a questão do caráter, na condição da pessoa ter ou não este atributo, de quando assume ou não que um projeto é de sua autoria. "Nós legislamos para a cidade", disse o parlamentar em reconhecimento ao projeto de construção da UPA do Vila Cristina.

O vereador Lair Braga (SD) lembrou que ninguém faz uma obra sem o apoio do Executivo. E, comentou sobre trabalho junto aos moradores do Glebas Natalinas, em obra que também contou com os encaminhamentos do ex-vereador Chico da Água, Gilmar Rotta e André Bandeira. Ainda falou de obras na região do bairro Caxambú, que contou com a participação do ex-vereador João Manoel dos Santos (PTB). E, pontuou obras na região do bairro São Jorge, na construção de uma rototária, que agora aparece com muitos donos. "A ética é questão muito séria, que tem que ser prevalecida", concluiu Lair Braga.

Histórico

A melhoria do atendimento da UPA Vila Cristina sempre foi uma das preocupações mais relevantes da Câmara de Vereadores de Piracicaba, sendo tema de dezenas de indicações e requerimentos nos últimos anos. Desde 2012, 14 indicações e cinco requerimentos abordaram os mais diversos problemas envolvendo a unidade atual.

Em abril de 2012, o vereador Laércio Trevisan Júnior (PR) apresentou o requerimento 176/2012 em que questionou sobre manutenção e condições de equipamentos. Em 2013, no requerimento 96/2013, cobrou uma reforma geral, repetindo a preocupação de 2016, no requerimento 634. No mesmo ano, o vereador Paulo Campos questionou sobre a manutenção do aparelho de Raio-X.

As indicações para melhorias ao longo dos anos também tiveram autoria dos vereadores Laércio Trevisan Júnior, Paulo Campos, Ronaldo Moschini (PPS), Ary de Camargo Pedroso Júnior e Aldisa Vieria Marques, o Paraná.

O custo estimado da obra está entre R$ 5,5 e R$ 6 milhões, sendo que R$ 4 milhões são do governo federal, articulados pelo senador José Serra (PSDB). O restante (R$ 1,5 milhão) será a contrapartida da Prefeitura, recurso já alocado no Orçamento deste ano.

Segundo o primeiro secretário da Câmara, Pedro Kawai, o prefeito Barjas Negri informou que “a nova unidade irá melhorar o atendimento à população da região da Vila Cristina, reduzindo as filas e humanizando os serviços, principalmente com a separação dos acolhimentos dos usuários adultos e crianças”. O processo licitatório deve ser concluído ainda no primeiro semestre deste ano. O prazo de execução é de, no mínimo, 12 meses, a partir da assinatura do contrato.

A antiga unidade será substituída por uma moderna, como explicou o secretário municipal de Saúde, Pedro Mello, que ressaltou que a unidade atual está precária, congestionada e a sua infraestrutura ultrapassada. Hoje, a UPA Vila Cristina faz mais de 120 mil atendimentos médicos por ano. Por isso, a Prefeitura optou por construir outra unidade inteiramente nova, atendendo aos novos critérios do Ministério da Saúde.
 
Sobre a melhoria da infraestrutura, se comparada à unidade antiga, a mudança será a separação dos acolhimentos entre os públicos adulto e infantil.

O secretário Pedro Mello também explica que a nova unidade terá cerca de 2.300 m², com 10 consultórios, 52 leitos (hoje são 27), brinquedoteca e fraldário, salas para sutura e curativo, inalação, aplicação, reidratação, sanitários masculino/feminino e infantil entre outras instalações, e mais o chamado apoio terapêutico: aparelho de Raio-X e de Eletrocardiograma.

Serviço

Conforme informações do Centro de Comunicação Social da Prefeitura, a obra será edificada em área de 4.153,87 m2, com 2.367,82 m2 de construção. Serão disponibilizados 52 leitos, sendo 12 leitos infantis, 15 femininos, 16 masculinos e 6 de emergência e 3 de isolamento. Incluindo 10 consultórios, sendo 4 infantis.



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Legislativo

Notícias relacionadas