PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

14 DE AGOSTO DE 2018

Vereadores avaliam criação do Departamento de Defesa Civil Municipal


Departamento deverá ser incluído na estrutura da Secretaria Municipal de Governo e Desenvolvimento Econômico



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Sidney Jr Salvar imagem em alta resolução

Vereadores avaliam criação do Departamento de Defesa Civil Municipal


Está em tramitação na Câmara de Vereadores de Piracicaba desde Julho, o projeto de lei 195/2018, que institui o Simpdec (Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil) no Município, e inclui o Departamento de Defesa Civil na estrutura da Secretaria de Governo e Desenvolvimento Econômico, além de criar função gratificada de diretor (com referência salarial 16-A).

O Simpdec integrará o Sistema Nacional de Defesa Civil, com a finalidade de coordenar as medidas permanentes de defesa e prevenção das consequências nocivas de eventos desastrosos e para socorrer as áreas atingidas.

Nos termos da legislação federal, considera-se “desastre”, o resultado de eventos adversos, naturais ou provocados pelo homem sobre um ecossistema vulnerável, causando danos humanos, materiais ou ambientais, e consequentes prejuízos econômicos e sociais.

Também define que “situação de emergência” é o reconhecimento legal de situação anormal, provocada por desastres, causando danos e prejuízos que impliquem o comprometimento parcial da capacidade de resposta do poder público, assim como “estado de calamidade pública” é definida como situação anormal, provocada por desastres, causando danos e prejuízos que impliquem comprometimento substancial da capacidade de resposta do poder público.

De acordo com a legislação, o Simpdec manterá “estreito intercâmbio” com os demais órgãos e entidades congêneres com o objetivo de receber e fornecer subsídios técnicos para esclarecimentos relativos à defesa civil.

Os servidores públicos designados para colaborar nas ações emergenciais exercerão as atividades sem prejuízo dos cargos ou empregos que ocupam, não serão remunerados, nem farão jus a gratificação especial, sendo que estes trabalhos são considerados de relevância pública.

A Comissão de Defesa Civil será presidida pelo titular da Pasta, sendo composta por representantes indicados pelas secretarias municipais e órgãos de Administração Indireta e, ainda, por órgãos estaduais e federais que mantenham serviços ligados às ações de defesa civil na cidade.

Na justificativa do projeto, o Executivo destaca que a 3a Conferência Mundial da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre a Redução do Risco de Desastres (WCDRR) ocorreu entre 14 a 18 de março de 2015, em Sendai (Japão), sendo que os participantes discutiram e aprovaram o sucessor do Quadro de Ação de Hyogo 2005-2015, plano acordado internacionalmente para tornar o mundo mais seguro contra riscos naturais e não naturais. 

Os novos desafios contidos no Quadro de Sendai impõem para a redução do risco de desastres até o ano de 2030. Dentro deste contexto, ficou estabelecido que a campanha “Construindo Cidades Resilientes”, da ONU, se concentrou na resiliência a desastres, na capacidade da cidade para planejar, mitigar, responder, recuperar-se, adaptar-se e crescer após grandes desastres, tendo em conta as circunstâncias físicas, econômicas, ambientais e sociais particulares.

 
 


Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: Infraestrutura UrbanaAndré BandeiraAry Pedroso JrCarlos Gomes da SilvaDirceu AlvesJosé LongattoLaércio Trevisan JrPaulo HenriqueRonaldo MoschiniChico AlmeidaGilmar RottaMatheus ErlerPaulo CamposPedro KawaiPaulo SerraRerlison RezendeIsac SouzaJonson OliveiraAdriana NunesLair BragaNancy ThameMarcos AbdalaOsvaldo SchiavolinAldisa MarquesWagner OliveiraAntonio PadovanZezinho PereiraChico Roncato

Notícias relacionadas