PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

02 DE ABRIL DE 2018

Vereadores acompanham lançamento de pedra fundamental de hospital


Hospital do Câncer está sendo construído na região do bairro Pompeia



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (1 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (2 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (3 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (4 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (5 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (6 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (7 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (8 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (9 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (10 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (11 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (12 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (13 de 13) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução





No próximo ano, Piracicaba contará com o Hospital de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer, no loteamento Altos do Taquaral, na Pompeia, cujo foco é reduzir de 80% para 10% o diagnóstico tardio da doença. As obras da unidade começaram em dezembro do ano passado e a cerimônia de lançamento da pedra fundamental aconteceu na manhã desta segunda-feira (2), quando a Câmara esteve representada pelos vereadores André Bandeira (PSDB), Gilmar Rotta (MDB), Lair Braga (SD), Osvaldo Schiavolin, o Tozão (PSDB), Paulo Campos (PSD), Pedro Kawai (PSDB) e Wagner Oliveira (PHS).

Além da unidade – que está sendo construída em uma área de 10 mil metros quadrados, na rua Arduce Honório de Aguiar, s/n – haverá uma carreta móvel para a realização de exames e rastreamento ativo organizado. Para a construção da obra, a Ilumina recebeu R$ 27,5 milhões, provenientes de verbas do acordo de indenização coletiva do caso de contaminação do solo em Paulínia (conhecido como caso Shell-Basf). A aplicação do recurso foi determinada em novembro pela 15ª região do Tribunal Regional do Trabalho, em Campinas.

Presidente da Associação Ilumina, a médica Adriana Brasil disse que o desafio para o próximo ano é o de conquistar orçamento para a manutenção do atendimento. A entidade conta atualmente com oito colaboradores, número que saltará para 45. Além disso, o custo de R$ 700 mil anuais será superior a R$ 2,3 milhões.

“A sustentabilidade do projeto é o principal desafio da Ilumina. Para isso, estamos profissionalizando o trabalho de captação de recursos. Eu peço que o piracicabano abrace a nossa casa, que ajude no custeio do hospital. Abordaremos também todas as empresas instaladas em Piracicaba, para que colaborem com a causa”, comentou Adriana, ao lembrar que será feito trabalho de telemarketing para alcançar maior número de pessoas.

Adriana citou ainda a importância da Câmara em todas as etapas da Ilumina, que há dez anos nascia em Piracicaba, como projeto, depois associação e que agora se capacita para tornar-se fundação. “Sempre, por unanimidade, os vereadores estiveram conosco. Fiz questão de mencionar isso no meu discurso. Seja aprovando a utilidade pública municipal da entidade, na aprovação dos projetos de lei, no subprojeto e, em uma fase mais recente, no processo de doação do terreno para o hospital”, declarou.

Os vereadores Gilmar Rotta, Pedro Kawai e Tozão também reforçaram o papel do Legislativo em prol da Ilumina.  “A Câmara sempre foi parceira, aprovando os documentos oficiais necessários para a entidade, incluindo o projeto para doação do terreno de 10 mil metros quadrados para a obra do hospital”, disse Rotta.  “A nossa esperança é que, em um curto espaço de tempo, consigamos zerar o tratamento de câncer avançado”, declarou Kawai. “Quando pessoas do bem querem fazer o bem, o bem acontece. Juntos, com certeza, seremos e somos mais”, classificou Tozão.

Segundo o prefeito Barjas Negri (PSDB), a atenção para os assuntos da saúde tem sido redobrada nos últimos anos, da parte de ambos os poderes – Executivo e Legislativo. “A Constituição Federal determina que os municípios gastem no mínimo 15% dos seus impostos para a área da saúde. Nós gastamos 29,5%. Os prefeitos de Piracicaba e a Câmara não mediram esforços para aumentar gradativamente o orçamento da Saúde, para que demos tranquilidade à população.”

O presidente do Hospital do Câncer de Barretos, Henrique Prata, reforçou que será parceiro do novo hospital. Ele citou a importância de o tratamento do câncer ocorrer na fase ambulatorial. “O melhor investimento é esse. Mas, para ele começar a parecer, leva em média seis anos. Esse foi o período que levamos em Barretos para zerar o câncer de mama avançado ou câncer de colo de útero.” 

O ato também teve a presença do presidente do TRT – 15ª Região, desembargador Fernando da Silva Borges, do procurador do Ministério Público do Trabalho, Ronaldo Lira, e do secretário de Saúde Pedro Mello. Para o lançamento da pedra fundamental, foi convidado o munícipe José Moacir Martins, primeiro paciente curado pela Ilumina.

(Assista no player à reportagem veiculada pelo "Jornal da Câmara".)



Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  Márcio Braga - MTB 62.377
Reportagem de TV:  Rebeca Paroli - MTB 25.992
Edição de TV:  Márcio Braga - MTB 62.377


Tópicos: SaúdeAndré BandeiraGilmar RottaPaulo CamposPedro KawaiLair BragaOsvaldo SchiavolinWagner Oliveira

Notícias relacionadas