PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 28 DE MAIO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

08 DE MAIO DE 2018

Secretária fez de conta que não sabia de superlotação, diz Erler


Presidente da Câmara ressaltou, na noite desta segunda-feira (7), os dados sobre a ocupação de salas de aulas



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Matheus Erler reafirma indagações sobre os problemas da educação




O presidente da Câmara de Vereadores de Piracicaba, Matheus Erler (PTB), criticou a secretária municipal de Educação, Ângela Correa, por ter negado a superlotação das salas de aula durante reunião pública sobre as condições do ensino infantil, informação que agora se tornou oficial após reportagem na imprensa em que a titular admite o problema no município. 

“A secretária, depois de contrariar a Câmara e o MP (Ministério Público), não precisava fazer de conta que a senhora não sabia, ficou feio para a senhora, que decepção”, disse Eler, ao lembrar que quem sofre com o problema são as crianças e as mães. “Essa situação é uma vergonha para Piracicaba”, disse, ao ocupar a tribuna da Câmara na 25ª reunião ordinária, nesta segunda-feira (7). 

Erler questionou Angela Correa por ter escondido tanto o problema. “Tivemos reunião com a maioria dos vereadores, o MP investigando, e agora a secretária confirma a superlotação”, disse. Ele criticou, ainda, a justificativa de que a superlotação teria sido motivada por sentença que obrigou a Prefeitura de Piracicaba a matricular crianças que estavam na filha de espera. 

“É mais fácil jogar a culpa no Poder Judiciário, mas a educação é direito de todos, e o Judiciário está correto, errado está o Executivo de não garantir as vagas”, disse. Erler detalhou, ainda, que há salas de aula que deveria ter 15 crianças, mas existem 21 matriculados. “No site da Educação, há 371 crianças aguardando o Bolsa-Creche, então há necessidade do Bolsa-Creche”, disse. 

O vereador Lair Braga (SD) reiterou as falas do presidente da Câmara e disse que “ficou triste” com a atitude da secretária de Educação. “Foi muito feio o que aconteceu, eu declarava claramente que os fatos relatados (na reunião na Câmara) deveriam ser verificados, de uma forma muito grave, e parecia que nada disso era verdade, eu só quero lamentar o que ocorreu”, disse.



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Reunião OrdináriaMatheus Erler

Notícias relacionadas