PIRACICABA, SÁBADO, 23 DE MARÇO DE 2019 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

23 DE NOVEMBRO DE 2018

Coronel Adriana quer dados sobre serviços de reposição asfáltica


Propositura de autoria da parlamentar foi aprovada nesta quinta-feira.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Requerimento de Coronel Adriana segue para o Executivo






Autora do requerimento 583/2018, a vereadora Adriana Cristina Sgrigneiro Nunes, a Coronel Adriana (PPS), solicita informações sobre a empresa contratada pela Prefeitura para a prestação de serviços de reposição asfáltica em função de ligações novas e reparos em redes e ramais de água em Piracicaba. A votação da propositura ocorreu nesta quinta-feira (22), na 69ª reunião ordinária.

A empresa FPF Construções e Serviços Ltda Epp, sediada em Limeira (SP), recebe R$ 514 por tonelada de asfalto usada para reposição simples e aplicação de capa asfáltica, e outros valores que variam conforme o tipo de serviço. O contrato, de R$ 3,999 milhões, tem vigência de 12 meses, prorrogáveis por no máximo 60 meses.

Em relação ao trabalho prestado e à fiscalização que o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) deve realizar nos relatórios apresentados, a vereadora quer saber onde está localizada a base fixa da empresa contratada para a prestação dos serviços, quantos serviços tiveram que ser refeitos, de quem é a responsabilidade pelos serviços mal executados e refeitos, quais providências estão sendo adotadas para a correção desse problema e quais prejuízos as falhas geraram aos cofres públicos.

Coronel Adriana ocupou a tribuna para discutir o requerimento de sua autoria. Ela criticou a demora na execução do serviço. "Fica praticamente intransitável a rua depois de consertada. Em razão disso, fiz uma análise do contrato, que prevê uma série de regras para que a empresa, que é de Limeira, faça o recapeamento após o conserto."

A FPF, continuou a vereadora, "ganha R$ 514 por tonelada de asfalto para reposição simples; essa medição é feita pela própria empresa e o Semae deve fiscalizar. Nesse contrato, há previsão de sanções: caso a empresa deixe de cumprir o que está acordado, no caso dessa inadimplência, é de 10% do valor do contrato".

Os vereadores Osvaldo Airton Schiavolin, o Tozão (PSDB), Wagner Alexandre de Oliveira, o Wagnão (PHS), Lair Braga (SD) e Dirceu Alves da Silva (SD) endossaram os questionamentos de Coronel Adriana e criticaram o tempo que a empresa contratada leva para recapear os trechos que tiveram o asfalto recortado e a qualidade final do serviço.



Texto:  Fernanda Rizzi
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: LegislativoAdriana Nunes

Notícias relacionadas