PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 20 DE AGOSTO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

15 DE MAIO DE 2018

Coronel Adriana leva reivindicações dos PMs a governador de São Paulo


Reunião no Palácio dos Bandeirantes ocorreu em 4 de maio



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Assessoria parlamentar (1 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Assessoria parlamentar (2 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Assessoria parlamentar (3 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Assessoria parlamentar (4 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Assessoria parlamentar (5 de 5) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Assessoria parlamentar Salvar imagem em alta resolução

A vereadora Adriana Cristina Sgrigneiro Nunes, a Coronel Adriana (PPS), participou de reunião com o governador do Estado de São Paulo, Márcio França, organizada pelo deputado federal Capitão Augusto, que teve como um dos temas principais as reivindicações dos policiais militares paulistas. O encontro ocorreu no último dia 4, no Palácio dos Bandeirantes.

Além do Capitão Augusto, o encontro contou com a participação de dois deputados estaduais, 90 Vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, policiais militares em exercício de mandato no Estado de São Paulo e todas as associações representativas de policiais militares.

A Coronel Adriana solicitou instalação de postos da SPPRev (São Paulo Previdência) nos Poupatempos do interior para atendimento dos inativos, construção de sede de Companhias PM em Piracicaba, vale alimentação para todos os policiais militares e pagamento de abono-transferência para todos os policiais militares e em todas as movimentações.

O deputado federal Capitão Augusto leu uma longa lista de reivindicações, dentre elas, a exigência do título de bacharel em direito para ingresso na APMBB (Academia de Polícia Militar do Barro Branco) e de curso superior para ingresso na Escola de Soldados. Atualmente, a escolaridade mínima é o ensino médio completo.

Foram solicitadas prioridades para recebimento de precatórios, a autorização para a Polícia Militar lavrar o Termo Circunstanciado de Ocorrência, a reposição de 24% de inflação nos últimos quatro anos e a aprovação da PEC 5 (que prevê o fim das polícias Civil e Militar e cria uma polícia única), além do recálculo da ajuda de custo e alimentação e a diminuição da diferença salarial entre 1º e 2º tenentes.

Outras medidas também foram solicitadas, como o pagamento antecipado das diárias, volta da dispensa recompensa, o aumento no número de policiais militares que trabalham nos GPPM de 9 para 11 e a volta das permutas entre policiais.

O governador Márcio França prometeu diálogo e garantiu que analisará todas as reivindicações. No entanto, alertou que nem sempre será possível acomodar todas as situações para contentar todo mundo. “O Estado tem limite, e este limite é a arrecadação”, frisou.

Ao final, reconheceu que a força política dos policiais militares aumentou bastante porque a classe compreendeu que não basta que esta força seja grande. “Ela tem de ser grande e representativa”, explicou. “O sistema brasileiro funciona assim, com representação: quem tem mais força é quem tem mais representação por meio de parlamentares e de entidades”, disse.



Texto:  Assessoria parlamentar
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Tópicos: LegislativoAdriana Nunes

Notícias relacionadas