PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 19 DE FEVEREIRO DE 2019 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

08 DE FEVEREIRO DE 2019

Campos e Paulo Serra reafirmam críticas contra o Semae e defendem CPI


Os parlamentares não descartam a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para verificar o sistema de abastecimento da cidade



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 (1 de 2) Salvar imagem em alta resolução

Campos e Paulo Serra reafirmam críticas contra o Semae e defendem CPI

Campos e Paulo Serra reafirmam críticas contra o Semae e defendem CPI
Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 (2 de 2) Salvar imagem em alta resolução

Campos e Paulo Serra reafirmam críticas contra o Semae e defendem CPI

Campos e Paulo Serra reafirmam críticas contra o Semae e defendem CPI
Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Campos e Paulo Serra reafirmam críticas contra o Semae e defendem CPI






O vereador Paulo Campos (PSD) ao ocupar a tribuna da Câmara, por cinco minutos regimentais, na condição de líder partidário, na 2ª reunião ordinária de ontem (7) foi aparteado por Paulo Serra (PPS), em considerações sobre o problema de falta de água em Piracicaba. Os parlamentares defenderam a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para avaliar o sistema. 

Os parlamentares não pouparam críticas ao Semae, em questionamentos sobre o sistema que acaba por penalizar a população. "Se a Ares/PCJ se reúne uma vez por ano para discutir assuntos diversos e paga-se 2 milhões, é realmente preocupante. No sábado passado estive com o presidente do Semae, José Rubens Françoso, no bairro Novo Horizonte e adjacências e a população mostrou a ele que pessoas que recebiam conta de 80, receberam de 550 reais. Isso é preocupante. É uma aberração. Assinei o requerimento da CPI do Semae porque algo de errado deve ter. Teremos oportunidade de questionar o presidente e os técnicos sobre a situação enfrentada pela população", sinalizou Paulo Campos. 

Já o vereador Paulo Serra defendeu a criação de uma CPI como forma de realizar uma investigação mais profunda.  Além de informar que recebeu a conta de um cidadão, no valor de 946 reais, sendo que em dezembro, esta conta era de 36 reais. "Isto é um absurdo", conclui o parlamentar na defesa de mais transparência nesta questão. 

 



Texto:  Martim Vieira - MTB 21.939
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Reunião OrdináriaPaulo Campos

Notícias relacionadas