PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 18 DE JULHO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

03 DE JULHO DE 2018

Campanha Julho Amarelo incentiva prevenção a hepatites


De forma pioneira, Câmara apoia iniciativa de Caphiv desde 2015, por meio de decreto legislativo



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Sidney Jr Salvar imagem em alta resolução

Faixa amarela permanece na fachada do prédio principal da Câmara durante o mês


Pelo quarto ano consecutivo, a Câmara de Vereadores de Piracicaba apoia a campanha Julho Amarelo, de prevenção e controle das hepatites virais, organizada pela Caphiv (Centro de Apoio HIV/Aids e Hepatites Virais). O lançamento oficial acontece no dia 20, porém, antes disto, uma série de iniciativas são promovidas na cidade.

O assistente de coordenação da campanha, Eliel da Fonseca, explica que Piracicaba é o primeiro município a promover, de forma institucionalizada, as ações mensais, ao passo que o trabalho recorrente no país sempre foi o de lembrar a data internacional, o Dia D de Combate (28 de julho).

Outro pioneirismo é o decreto legislativo 5/2015, que assegurou a parceria da Casa de Leis com o Caphiv. “A Câmara de Piracicaba foi o primeiro órgão público a oficializar uma parceria com uma entidade para esta finalidade. Além do trabalho em julho, igualmente somos pioneiros na campanha Dezembro Vermelho”, informa, ao reforçar que a ideia foi exportada para cidades como São Paulo e Santos.

Diferente dos anos anteriores, o lançamento oficial ocorre em um momento em que as ações já estarão em andamento pela entidade e pela Casa de Leis. Conforme Fonseca, pesou para a prorrogação da data o calendário da Copa do Mundo. Ele destaca que o trabalho intenso teve início já nos primeiros dias de julho.

Nesta edição, o suporte aos trabalhos da Caphiv estará aos cuidados do gabinete do vereador Pedro Kawai (PSDB), primeiro secretário da Mesa Diretora. “É muito importante que um órgão público, como a Câmara, esteja engajado em iniciativas que levam a informação e colaborem com a saúde pública dos cidadãos. Quanto mais informação, maiores são as chances de prevenção”, lembra o parlamentar.

Durante todo o mês, a fachada do prédio principal da Câmara – na rua Alferes José Caetano, 834 – terá uma faixa amarela. Também para remeter ao assunto, a fita amarela – símbolo da campanha – estará no topo do site oficial da Casa de Leis (www.camarapiracicaba.sp.gov.br). Também está prevista veiculação de campanha de conscientização na programação da TV Câmara (canais 8 da NET, 9 da Vivo Fibra e 60.4 em sinal digital).

Para o lançamento oficial, representantes do Caphiv, do Legislativo e do Executivo apresentarão à imprensa os números locais relacionados às hepatites virais e como estão sendo traçadas estratégias de combate no município. O ato acontece às 10h do dia 20, na sala de reuniões do prédio anexo.

Um dos diferenciais na campanha deste ano está no atendimento intensivo do Caphiv durante o mês, sendo que as pessoas podem procurar a entidade durante 24 horas de qualquer dia para realização de testagem rápida. A sede fica na rua Tiradentes, 404, Centro. “Temos uma equipe de enfermagem de plantão e pessoas qualificadas para promoverem o encaminhamento para o Cedic (Centro de Doenças Infecto Contagiosas), caso necessário”, diz Fonseca.

Além disso, a instituição desenvolve o projeto Prevenir Faz Bem, de testagem rápida, distribuição de preservativos masculinos e femininos, gel lubrificantes, folders e cartazes. Estão previstas ainda palestras na Fundação Casa nos dias 17, 18 e 19.

O Caphiv surgiu como grupo voluntário desde 2011 e como entidade estatutária em 2012. Em média, promove 1.000 acessos por mês pelo projeto de prevenção, com abordagens em diferentes regiões a profissionais do sexo, pessoas em situação de rua e com privação de liberdade (menores e detentos), público LGBTQ+, homens que fazem sexo com homens (HSH), entre outros.

De acordo com o Ministério da Saúde, aproximadamente 3 milhões de pessoas estão contaminados com algum dos cinco tipos de hepatites existentes (A, B, C, D, E e G). Cada uma delas é provocada por um tipo de vírus e possue formas diferentes de prevenção e tratamento. Entre outros motivos, as doenças provocam a inflamação do fígado e podem ser causadas por abuso de álcool ou transmitidas por água contaminada, agulhas infectadas ou relações sexuais sem proteção.



Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: CâmaraPedro Kawai

Notícias relacionadas