PIRACICABA, SEGUNDA-FEIRA, 20 DE AGOSTO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

20 DE JULHO DE 2018

Quarta edição da Campanha Julho Amarelo é lançada na Câmara


Caphiv promoveu testagem rápida para diagnóstico das hepatites; ação é realizada com suporte do gabinete do vereador Pedro Kawai



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (1 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Laço amarelo permanece na fachada da Câmara durante todo o mês como forma de conscientização

Laço amarelo permanece na fachada da Câmara durante todo o mês como forma de conscientização
Foto: Sidney Jr (2 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Testagem rápida dos tipos B e C aconteceu nesta sexta-feira

Testagem rápida dos tipos B e C aconteceu nesta sexta-feira
Foto: Sidney Jr (3 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Testagem rápida dos tipos B e C aconteceu nesta sexta-feira

Testagem rápida dos tipos B e C aconteceu nesta sexta-feira
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (4 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Dados locais e nacionais foram apresentados em ato

Dados locais e nacionais foram apresentados em ato
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (5 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Dados locais e nacionais foram apresentados em ato

Dados locais e nacionais foram apresentados em ato
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (6 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Paulo Soares, que preside a Caphiv, destacou pioneirismo de Piracicaba

Paulo Soares, que preside a Caphiv, destacou pioneirismo de Piracicaba
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (7 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Márcia Fuza, do Cedic, representou Secretaria de Saúde

Márcia Fuza, do Cedic, representou Secretaria de Saúde
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (8 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Pedro Kawai destacou a característica de Piracicaba em unir forças

Pedro Kawai destacou a característica de Piracicaba em unir forças
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (9 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Representantes dos conselhos de Saúde e do Idoso estiveram na Câmara

Representantes dos conselhos de Saúde e do Idoso estiveram na Câmara
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (10 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Veja simbólica foi acessa para lembrar as vítimas da doença

Veja simbólica foi acessa para lembrar as vítimas da doença
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (11 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Participantes fizeram um minuto de silêncio

Participantes fizeram um minuto de silêncio
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (12 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Veja simbólica foi acessa para lembrar as vítimas da doença

Veja simbólica foi acessa para lembrar as vítimas da doença
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (13 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Veja simbólica foi acessa para lembrar as vítimas da doença

Veja simbólica foi acessa para lembrar as vítimas da doença
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução

Laço amarelo permanece na fachada da Câmara durante todo o mês como forma de conscientização


A Organização Mundial da Saúde estima que 20 mil pessoas em Piracicaba podem estar infectadas pelas hepatites virais. O número é considerado alto pelos representantes da Caphiv (Centro de Apoio HIV/Aids e Hepatites Virais), que consideram as testagens rápidas para verificação dos tipos B e C como os mais eficientes para eliminar o vírus.

Apesar da preocupação, Paulo Soares, que preside a Caphiv, lembrou do pioneirismo da cidade em desenvolver, de forma institucionalizada, um mês para conscientização, incentivando outros municípios brasileiros. Além disso, Piracicaba é pioneira no desenvolvimento de projetos para eliminar o vírus até 2030, conforme recomendação da OMS, por incluir a testagem rápida nas unidades de saúde.

"Em nossas campanhas, buscamos os possíveis infectados que estão sem tratamento e que podem adoecer com o avanço da doença. Nos casos em que o dianóstico é feito em tempo, as chances de cura são de 99%", disse Soares.

Desde 2015, a Câmara é parceira da Caphiv na campanha Julho Amarelo, cujo lançamento ocorreu na manhã desta sexta-feira (20), em dois atos: o primeiro, na sala de reuniões do prédio anexo, em que foram expostos os números relacionados ao município, e o segundo, em frente ao prédio da rua Alferes José Caetano, onde houve ato simbólico de retirada de um laço de uma faixa amarela -- que simboliza o período de trabalho intenso de prevenção. Após acenderem uma vela para representar os portadores da doença, os participantes fizeram um minuto de silêncio em respeito às vítimas.

No segundo andar do prédio anexo da Câmara, uma das salas foi destinada à testagem rápida dos tipos B e C das hepatites. O trabalho começou no período da manhã e com previsão de término até o encerramento do expediente da Casa de Leis (17h). Com os resultados em até 20 minutos, os testes foram feitos por meio de coleta de amostra de sangue obtida por plasma. "Para os casos positivos, a Caphiv faz o encaminhamento ao Cedic (Centro de Doenças Infecto Contagiosas) para a realização de um teste mais específico e a confirmação do diagnóstico", lembrou Soares.

A campanha deste ano ocorre com suporte do gabinete do vereador Pedro Kawai (PSDB), primeiro secretário da Mesa Diretora da Câmara. O parlamentar enalteceu a manifestação de apoio dos conselhos do Idoso e da Saúde nesta edição. "Piracicaba é destaque em vários segmentos, por conta das ações no meio ambiente, na saúde, na educação e em outras áreas. Isso ocorre porque a cidade tem entidades e sociedade civil unidas ao poder público em diferentes contextos", disse Kawai.

Acompanharam o evento Márcia Fuza, do Cedic, Ronaldo Milani, subcomandante da Guarda Civil de Piracicaba, além dos presidentes dos conselhos municipais do Idoso e da Saúde, respectivamente, Nelson Madeira e Bento Francisco Teixeira.

TRABALHO INTENSO -- A Caphiv intensificou o trabalho de conscientização já no início do mês, sendo que a sede, na rua Tiradentes, 404, Centro, dispõe de uma equipe de enfermagem de plantão durante 24 horas para a realização de testagem rápida e encaminhamento ao Cedic, nos casos de diagnósticos positivos.

Sobre o desenvolvimento da campanha em parceria com a Câmara, Soares disse que "o objetivo é agregar parcerias e a cada dia mais avançar na luta das hepatites virais". Soares também destacou o apoio do Conselho Municipal do Idoso, já que a população acima dos 40 anos é a mais afetada pela Hepatite C. Ele explicou que antes de 1993 não havia a testagem sanguínea para os casos de transfusão de sangue, o que contribuiu para aumentar a incidência de risco de infecção.

Vera Lúcia Ramos, de 65 anos, fez questão de deixar o seu depoimento. Ela recebeu o diagnóstico de infecção pelo HIV/Aids há 30 anos, mas está com a carga viral indetectável há 15 anos, o que considera um dos casos mais raros. "Conheço há vários anos o trabalho que a Caphiv faz na cidade, porém confesso que desconhecia qualquer informação sobre as hepatites. Os números são alarmantes."

De acordo com o Ministério da Saúde, aproximadamente 3 milhões de pessoas estão contaminados com algum dos cinco tipos de hepatites existentes (A, B, C, D, E e G). Os casos mais frequentes (B e C) preocupam por serem silenciosos e com sintomas que demoram a aparecer. O tipo C é seis vezes maior provável de ser transmitido do que o HIV, enquanto o tipo B é de 50 a 100 vezes mais infeccioso. De cada 100 pessoas que contraem a doença, mais de 85 podem ficar com a forma crônica da doença, sob risco de desenvolverem cirrose ou câncer de fígado.



Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: SaúdePedro Kawai

Notícias relacionadas