PIRACICABA, QUINTA-FEIRA, 13 DE DEZEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

21 DE AGOSTO DE 2018

Câmara recebe projeto que assegura pagamento de dívida ao HFC


Repasses para os anos de 2018 e 2019 também estão previstos no texto



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Texto precisa de análise de comissões antes de retornar ao plenário



Teve entrada nesta segunda-feira (20), na 45ª reunião ordinária, o projeto de lei 223/2018, que trata dos repasses ao Hospital dos Fornecedores de Cana para os anos de 2018 e 2019 e reconhece as dívidas relativas aos exercícios de 2016 e 2017. A propositura segue para análise das comissões da Câmara e depois precisa de análises em primeira e segunda discussões nas reuniões ordinárias.

De autoria do Executivo, o projeto de lei ratifica a adesão do município ao Plano Operativo do Programa Estadual Pró-Santa Casa-2. O texto autoriza o município a repassar, no período de 2018 e 2019, o valor de R$ 2.243.384,88 à Associação dos Fornecedores de Cana de Piracicaba, sendo R$ 1.121.692,44 referente ao exercício de 2018. Os repasses serão em parcelas mensais de R$ 93.474,37.

Se a propositura for aprovada, a prefeitura também será autorizada a celebrar termos de reconhecimento de dívidas relativas aos exercícios de 2016 e 2017, cujos pagamentos obedecerão à ordem cronológica, em favor da Associação dos Fornecedores de Cana de Piracicaba, no valor total de até R$ 373.897,48 e R$ 1.121.692,44.

Na justificativa do projeto, o prefeito Barjas Negri (PSDB) explica que o Programa Pró-Santa Casa-2 tem o objetivo de apoiar financeiramente entidades filantrópicas responsáveis por serviços de saúde hospitalares, de referência regional do SUS, e tem o intuito de aperfeiçoar a organização regional da assistência hospitalar e o acesso da população aos recursos hospitalares de saúde, por meio da regulação de 100% das internações contratualizadas e de outros procedimentos ambulatoriais referenciais.

O modelo de financiamento é custeado em 70% pelo Governo do Estado de São Paulo e 30% pelas secretarias municipais de Saúde da região. A definição se haverá participação de outros municípios depende da abrangência de cobertura do hospital e de acordo firmado entre os secretários municipais.



Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: LegislativoAndré BandeiraAry Pedroso JrCarlos Gomes da SilvaDirceu AlvesJosé LongattoLaércio Trevisan JrPaulo HenriqueRonaldo MoschiniChico AlmeidaGilmar RottaMatheus ErlerPaulo CamposPedro KawaiPaulo SerraRerlison RezendeIsac SouzaJonson OliveiraAdriana NunesLair BragaNancy ThameMarcos AbdalaOsvaldo SchiavolinAldisa MarquesWagner OliveiraAntonio PadovanZezinho PereiraChico Roncato

Notícias relacionadas