PIRACICABA, DOMINGO, 29 DE MARÇO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

14 DE FEVEREIRO DE 2020

Trevisan Jr. questiona permanência de diretora na Emdhap


Vereador ocupou a tribuna da Câmara durante a 4ª reunião ordinária, na noite desta quinta-feira (13).



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução





O vereador Laércio Trevisan Jr. (PL) questiona a permanência de Kátia Mesquita em cargo da diretoria da Emdhap (Empresa de Desenvolvimento Habitacional de Piracicaba). Ao ocupar a tribuna da Câmara durante a 4ª reunião ordinária do Legislativo, na noite desta quinta-feira 913), ele voltou a cobrar do prefeito Barjas Negri (PSDB) a exoneração da servidora, a qual, aponta o parlamentar, a Justiça sentenciou como “improba” para ocupar cargo público. 

Trevisan Jr. lembrou que, em 8 de janeiro, a Procuradoria-Geral do Município, através do titular da pasta, Milton Sérgio Bissoli, respondeu que a servidora era mantida no cargo conforme orientação da Justiça. No entanto, salienta o vereador, que a terceira decisão pelo afastamento da diretora foi publicada e que, agora, não se justifica mais a permanência em diretoria da Emdhap. 

“Agora tem uma nova decisão judicial, ou seja, afastando a diretora pela terceira vez. O que deveria fazer o prefeito? Manter quem faz a corrupção nesta Casa (em referência ao período em que Kátia era diretora da Câmara) e naquela Casa do Executivo, ou exonera-la”, questionou o parlamentar.

Ele acrescentou que, conforme a Justiça, Kátia Mesquita se utiliza, enquanto diretora da Emdhap, de práticas semelhantes em licitações que havia na Câmara quando ela respondia pelo Departamento Administrativo, “fazia o mesmo atalho, com as mesmas licitações”, disse. “E o prefeito vai manter ela ganhando R$ 10.900,00 sem trabalhar, mesmo sendo improba”, enfatizou. 

Trevisan Jr. disse que protocolou um novo requerimento na Câmara, onde pergunta ao chefe do Executivo se a diretoria será mantida na Emdhap, mesmo após a terceira decisão da Justiça pelo afastamento. “Não tem mais decisão judicial para manter ela lá, mas tem decisão para afastá-la, devido às improbidades administrativas apuradas em uma nova ação”, pontua.

O vereador salienta, ainda, que a responsabilidade pela permanência da diretora na Emdhap é de Barjas Negri. “No Fórum, o ex-presidente da Emdhap, João Manoel dos Santos, relata que nomeou ela na Emdhap a pedido do prefeito, isso está nos autos”, disse, ao sugerir que a Câmara deveria pedir, inclusive, o afastamento do chefe do Executivo. “Acabou, prefeito, ou você toma providência, ou vai responder”, concluiu o parlamentar.



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: LegislativoLaércio Trevisan Jr

Notícias relacionadas