PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 19 DE FEVEREIRO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

07 DE FEVEREIRO DE 2020

Santana e Santa Olímpia recebem apoio da Câmara contra pedágio


Representante das comunidades esteve na Tribuna Popular da Câmara nesta quinta-feira



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (1 de 2) Salvar imagem em alta resolução

Valdemar Correr reclamou de decisão da Artesp

Valdemar Correr reclamou de decisão da Artesp
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (2 de 2) Salvar imagem em alta resolução

Valdemar Correr reclamou de decisão da Artesp

Valdemar Correr reclamou de decisão da Artesp
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução

Valdemar Correr reclamou de decisão da Artesp






As comunidades Santana e Santa Olímpia terão o apoio da Câmara de Vereadores de Piracicaba na luta para reverter a instalação do pedágio no quilômetro 180 da rodovia SP-308 (Hermínio Petrin), que liga Piracicaba a Charqueada. Um documento oficial da Casa de Leis será elaborado e, após assinatura de todos os vereadores, será enviado à Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo).

A manifestação de apoio foi garantida pelo presidente da Câmara, vereador Gilmar Rotta (MDB), após o morador Valdemar Correr ocupar a Tribuna Popular, na noite desta quinta-feira (6), quando ocorreu a segunda reunião ordinária, com a galeria do Plenário Francisco Antonio Coelho ocupada por moradores das duas comunidades.

Correr lembrou que a instalação do equipamento prejudicaria de forma signicativa a rotina dos moradores das comunidades. Gilmar Rotta disse que os moradores podem contar com apoio da Casa. "Todos os vereadores estão à disposição para que não se prejudique quem mora lá", disse. Ele informou que o documento oficial da Câmara será elaborado pela presidência e antes de ser endereçado à Artesp terá análise de todos os gabinetes, além da assinatura de todos os vereadores.

Segundo Correr, os moradores foram pegos de surpresa com a decisão da Artesp em instalar uma praça de pedágio no quilômetro 180, entre os dois bairros. A reivindicação é que o equipamento seja colocado no quilômetro 182,25.

"Parece que a Artesp não gosta da gente. Primeiro, porque fez uma audiência em Rio Claro. Parece que não querem conversar com Piracicaba. A decisão não é técnica, é financeira", disse ele, ao completar que os moradores das comunidades farão o que for possível para reverter a decisão.

O vereador Laércio Trevisan Jr. (PL) comentou que existe um requerimento de sua autoria, enviado à Artesp, porém com respostas incompletas. Sobre um novo documento coletivo, Trevisan lembrou: "ficaria um compromisso coletivo, de todos os vereadores assinando e questionando a Artesp", avaliou.

Já Paulo Campos (PSD) informou que uma reunião sobre a questão será realizada em 18 de fevereiro, às 9h, na sede da Artesp, por solicitação do deputado estadual Alex de Madureira. "Ele já recepcionou a comunidade e se colocou à disposição para ajudá-los", disse.

A vereadora Adriana Cristina Sgrigneiro Nunes, a Coronel Adriana (CID), lembrou que a instalação no quilômetro 182,25 estava prevista anteriormente no site da Artesp. "Não responderam por qual motivo foi alterado para dois quilômetros antes, de forma a prejudicar de maneira muito grande os moradores", classificou, ao recomendar ainda a nevessidade de análise sobre os valores a serem cobrados na praça de pedágio.

Para Osvaldo Airton Schiavolin, o Tozão (PSDB), outro ponto que merece atenção em Santana e Santa Olímpia é a qualidade da malha asfáltica da rotatória dos bairros. "Ali vai acontecer um acidente muito grave e quem será o culpado? Aquilo está mais para chiqueiro do que para rotatória."

Na opinião da vereadora Nancy Thame (PSDB), um documento com a assinatura de todos os vereadores dará mais força à causa dos moradores. Ela sugeriu urgência na elaboração do texto.

O vereador Pedro Kawai (PSDB) disse que participou da audiência pública em Rio Claro, quando o pedágio foi anunciado. Na ocasião, ao questionar o motivo de a audiência ser realizada naquele município, recebeu como resposta o fato de a sede do DER (Departamento de Estrada e Rodagem) estar em Rio Claro. "Fiquei tranquilo quando falaram que seria no quilômetro 182, e quando mudaram para o 180, fiz vários questionamentos na Artesp", disse o parlamentar. Ele sugeriu que os 10 partidos com representação na Câmara se posicionem em favor da luta e cobrem dos seus deputados estaduais.



Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: Tribuna Popular

Notícias relacionadas