PIRACICABA, SÁBADO, 7 DE DEZEMBRO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

29 DE NOVEMBRO DE 2019

Projetos de lei de Abdala denominam vias no Terras Di Treviso


Proposituras apresentadas pelo vereador foram aprovadas na reunião ordinária desta quinta-feira.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Projetos de lei de Abdala foram aprovados em segunda discussão



Oito projetos de lei do vereador Marcos Abdala (REP) que denominam vias públicas no loteamento Terras Di Treviso, no Jardim São Francisco, foram aprovados, em segunda discussão, na 71ª reunião ordinária, nesta quinta-feira (28).

Os projetos de lei 190, 191 e 237/2019 regularizam, junto ao cadastro técnico municipal, os trechos de prolongamentos, respectivamente, da rua Antonio José da Conceição, da avenida Elias de Almeida Prado e da rua Francisco Franco da Rocha, conferindo o mesmo nome dessas três vias à rua 1, à avenida 2 e à rua 16 do loteamento.

Já o projeto de lei 199/2019 denomina a rua 4 de "Lucia Aparecida Batista Pereira de França". Natural de Bandeirante D'Oeste (SP), Lucia era filha de Sebastião Batista Pereira e Guilhermina de Freitas Batista, numa família de 13 irmãos, e casada com Sebastião França, com quem teve os filhos Fernanda, Fabrício e Sabrina.

"Era uma mulher muito batalhadora, honesta, protetora, mãe muito amada e carinhosa. Não media esforços para ajudar as pessoas, preocupava-se mais com o bem-estar do outro do que dela mesma. Teve uma vida simples, mas foi feliz do seu jeito", comenta Abdala. Lucia morreu em 25 de abril de 2017, aos 60 anos.

O projeto de lei 200/2019 dá à rua 5 o nome de "Maria Barbosa das Neves", que nasceu em Piracicaba, em 1º de dezembro de 1929, e morreu aos 88 anos, em 2 de janeiro de 2018. Filha de José Barbosa e Victalina Ferraz de Campos, casou-se com Pedro das Neves, com quem teve cinco filhos: Angela Maria, Francisco, Maria de Lourdes, Eduardo e Eliana.

Na infância, morou na rua do Porto, onde os avós mantinham uma olaria. O aprendizado de técnicas de corte e costura tornou-a costureira, "profissão que exercia com maestria e dedicação", enfatiza Abdala. "Maria costurava vestidos de noivas e alta costura para a época, servindo desde pessoas mais humildades até a alta sociedade."

Pelo projeto de lei 207/2019, a rua 13 vai se chamar "Bolivário Borges", que nasceu em 27 de dezembro de 1970, em Piracicaba, e morreu em 11 de fevereiro de 1997, aos 66 anos. Filho de Marcolino Manoel Borges e Benedita Silveira Leite, tinha sete irmãos: José Carlos, Nair, Zair, Sebastião dos Santos, Alice, Maria e Henrique.

Quando criança, lidou com a terra e os animais em Ibitiruna. Aos 18 anos, passou a trabalhar na Fábrica Boyes, na Usina Monte Alegre. Entrou em 1986 no Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto), como auxiliar de limpeza, permanecendo até se aposentar, um mês antes de morrer. "Era muito querido e conhecido por sua calma e respeito com todos. Não gostava de briga e era solidário. Gostava de ouvir esportes pelo rádio e acompanhava notícias sobre política", descreve Abdala.

O projeto de lei 208/2019 denomina a rua 18 de "Luzia Silvestre Gaspar". Nascida em Piracicaba, onde morreu aos 74 anos, em 7 de março de 2002, era filha de Pedro Silvestre e Maria Gimenez e mãe de Maria Helena e Iracema. Morou no Monte Branco, na Pauliceia e na Paulista. "Sempre dedicada ao lar, vendia vassoura na rua para gerar renda para a família. Era muito conhecida por seu carinho com as pessoas. Católica, gostava de cantar música caipira", diz o vereador.

Ainda no loteamento Terras di Treviso, o projeto de lei 209/2019 dá à rua 21 o nome de "Therezinha Renzi Damim". Nascida em Araraquara (SP), Therezinha era filha de Faustino Renzi e Sebastiana Francisca de Almeida, casada com Luiz Damim e mãe de Luiz Antônio, Mário Lúcio e Aparecida de Jesus.

Morou na fazenda dos pais, onde ajudava na lavoura e na criação animal, e depois, por 35 anos, viveu em São Paulo (SP). Veio em 1990 para Piracicaba, onde foi membro da Congregação Cristã do Brasil e participava de diversas atividades sociais, "principalmente na confecção de roupas para os necessitados, pois era costureira". Morreu em 18 de dezembro de 2014, aos 86 anos.



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: LegislativoMarcos Abdala

Notícias relacionadas