PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 18 DE FEVEREIRO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

10 DE DEZEMBRO DE 2019

Liderança critica emenda que amplia modelos de corredores comerciais


Sérgio Setten, presidente da AMA Nova Piracicaba, ocupou a tribuna popular da Câmara noite desta segunda-feira (9).



EM PIRACICABA (SP)  

Salvar imagem em alta resolução





Presidente da AMA Nova Piracicaba, Sérgio Setten ocupou a tribuna da Câmara durante a 74ª reunião ordinária, na noite desta segunda-feira (9), para criticar a proposta da Emenda 15 ao projeto de lei complementar 12/2019, que trata do PDDP (Plano Diretor de Desenvolvimento de Piracicaba), e que amplia modelos de corredores comerciais no Município, criando a figura de “baixo impacto”.

“Venho demonstrar a nossa indignação por essa situação. A nossa diretoria participou de diversas reuniões e, nestas oportunidades, conseguimos garantir que a avenida Cruzeiro do Sul é uma área de preservação ambiental, por estar na beira do rio e protegida por lei federal, mas agora essa emenda cria corredor comercial em Zupa (Zona Urbana de Proteção de Paisagem)”, disse Setten. 

A preocupação de Setten é que a Emenda 15, sob o pretexto de criar um corredor comercial na avenida Suiça, em outra região da cidade, criou a possibilidade de empreendimentos de “baixo impacto” em Zupa, o que, segundo o presidente da AMA Nova Piracicaba, coloca em risco todas as áreas semelhantes na cidade. 

“Essa Emenda 15 quebra a garantia que conseguimos na discussão do Plano Diretor e abriu um precedente ao transformar Zupa em zona mista. Ou seja, ano que vem se algum vereador, ou mesmo o Executivo, quiser enviar um projeto para essa Casa, criando um corredor comercial de ‘baixo impacto’ não só na avenida Cruzeiro do Sul, mas em qualquer região do bairro, ele poderá enviar”, criticou Setten. 

O presidente da associação também criticou a falta de fiscalização. Ele lembrou que, em 2014, a Câmara aprovou como corredor comercial dois quarteirões da avenida Cruzeiro do Sul, sob o argumento de que restaurantes naquele local pudessem ser regularizados, mas, segundo ele, até agora isso não ocorreu. 

“Eu assisto as reuniões da Câmara, quando não pessoalmente, mas de casa, porque acredito que a política pode fazer muita coisa boa, e uma das coisas que mais vejo aqui é a reclamação sobre a falta de fiscalização, e aí, eu pergunto, quem não garante que não vão montar um restaurante ou qualquer outro empreendimento naquela região e depois pedirem a legalização”, questionou Setten.

A Emenda 15 foi retirada, porém, substituída pela Emenda 24, que acabou sendo aprovada no Plenário, durante a votação do PLC 12/2019 na 19ª extraordinária, por 11 votos a sete.



Texto:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Tribuna Popular

Notícias relacionadas