PIRACICABA, DOMINGO, 21 DE ABRIL DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

07 DE DEZEMBRO DE 2018

Kawai visita Funjape para acompanhar desenvolvimento de projeto


O projeto Canecan visa trabalhar as vulnerabilidades e o fortalecimento de vínculos sociais e familiares que são afetados pelo câncer



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Thaís Passos (1 de 4) Salvar imagem em alta resolução

O parlamentar visitou a instituição na manhã desta sexta-feira (7)

O parlamentar visitou a instituição na manhã desta sexta-feira (7)
Foto: Thaís Passos (2 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Pedro Kawai e a presidente Fátima Pereira

Pedro Kawai e a presidente Fátima Pereira
Foto: Thaís Passos (3 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Psicologa Bruna Stadnick

Psicologa Bruna Stadnick
Foto: Thaís Passos (4 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Lousa na qual os alunos fizeram uma atividade para imaginar o que mais gostariam de ter

Lousa na qual os alunos fizeram uma atividade para imaginar o que mais gostariam de ter
Foto: Thaís Passos Salvar imagem em alta resolução

O parlamentar visitou a instituição na manhã desta sexta-feira (7)



Na manhã desta sexta-feira (7/12), o vereador Pedro Kawai (PSDB) visitou a Funjape (Fundação Jaime Pereira), uma instituição sem fins lucrativos que realiza o trabalho direcionado às vulnerabilidades sociais das pessoas com câncer e seus familiares. O objetivo foi acompanhar o desenvolvimento do projeto Canecan (Crianças e Adolescentes no Enfrentamento do Câncer), financiado pelo Fumdeca (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente).

O projeto Canecan visa contribuir através dos profissionais do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e trabalhar nas questões das vulnerabilidades psicossociais do câncer. O cronograma inicial é o acolhimento de demandas até ações individuais, coletivas e com grupos para que possa haver o fortalecimento de vínculos sociais e familiares.

“Temos uma fragilidade em nosso projeto que é a retirada da criança da escola quando descobre o câncer, por conta da baixa imunidade e por conta disso, elas permanecem analfabetas”, disse a psicóloga da Funjape, Bruna Stadnick. Por esse motivo é essencial o acompanhamento com uma pedagoga durante o projeto, pois sem a alfabetização, a criança não consegue acompanhar os recursos que são oferecidos pela instituição.

Bruna também relatou o isolamento, a perda e até mesmo o bullying. “Também é importante trabalhar na saúde mental”, disse. Com isso, o projeto há um educador que ajuda no desenvolvimento social da criança com atividades lúdicas.

“É difícil os alunos se soltarem, fizemos uma atividade para escrever na árvore e eles não sabem escrever. Então, eu peço para eles terem ideias e eu escrevo por eles”, relatou Fátima Pereira, presidente da fundação. Na lousa, os pedidos das crianças eram ter uma família unida, desejar ser feliz e querer que todos fossem felizes, sendo a própria consequência da doença que afeta a criança e o ambiente familiar.

Há também o desenvolvimento de eventos temáticos que para estimular reflexão das datas comemorativas e resgatar a história do país, do município, atribuindo sentidos e ajudar com o processo histórico-cultural de cada criança e adolescente.

“A maioria das famílias que atendemos já são conhecidas pela rede de serviços socioassistenciais de direito, então a mesma família que vem aqui, participa de todos os programas sociais do município”, afirmou Juliana Barrio, assistente social da Funjape.

Além disso, as visitas domiciliares são realizadas uma vez ao mês na casa do paciente para acompanhar o seu tratamento junto com os profissionais de Serviço Social, psicologia e nutrição. O projeto possui 40 grupos realizados por mês e 11 eventos temáticos anuais.

Para o desenvolvimento do projeto, a Funjape planejou custeio de recursos humanos através do financiamento pelo Fundeca (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), que financia programas e projetos que atuem na garantia da promoção, proteção e defesa dos direitos da criança e do adolescente. 



Texto:  Fernanda Rizzi
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: CidadaniaPedro Kawai

Notícias relacionadas