PIRACICABA, DOMINGO, 17 DE NOVEMBRO DE 2019
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

18 DE SETEMBRO DE 2019

Câmara Inclusiva traz Apae para identificar dificuldades de mobilidade


Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Piracicaba compareceram na manhã desta quarta-feira (18) para identificar necessidade de adequações da Casa



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Sidney Jr (1 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Vereador Pedro Kawai recepcionou os alunos

Vereador Pedro Kawai recepcionou os alunos
Foto: Sidney Jr (2 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Vereador André Bandeira também recepcionou os alunos

Vereador André Bandeira também recepcionou os alunos
Foto: Sidney Jr (3 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Vereador André Bandeira também recepcionou os alunos

Vereador André Bandeira também recepcionou os alunos
Foto: Sidney Jr (4 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara
Foto: Sidney Jr (5 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara
Foto: Sidney Jr (6 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Dentre os pontos analisados é o tamanho do elevador

Dentre os pontos analisados é o tamanho do elevador
Foto: Sidney Jr (7 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais estiveram na Casa na manhã desta quarta-feira (18)

Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais estiveram na Casa na manhã desta quarta-feira (18)
Foto: Sidney Jr (8 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais estiveram na Casa na manhã desta quarta-feira (18)

Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais estiveram na Casa na manhã desta quarta-feira (18)
Foto: Sidney Jr (9 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara
Foto: Sidney Jr (10 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais estiveram na Casa na manhã desta quarta-feira (18)

Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais estiveram na Casa na manhã desta quarta-feira (18)
Foto: Sidney Jr (11 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara
Foto: Sidney Jr (12 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara
Foto: Sidney Jr (13 de 13) Salvar imagem em alta resolução

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara
Foto: Sidney Jr Salvar imagem em alta resolução

Alunos conheceram dependências dos dois prédios da Câmara



“A intenção é que vocês se sintam em casa e identifiquem os obstáculos nesta Casa. Queremos tornar a Câmara cada vez mais inclusiva.” Foi assim que Bruno Didoné de Oliveira, diretor do Departamento de Documentação e Transparência do Legislativo, recebeu oito alunos da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Piracicaba na manhã desta quarta-feira (18). A atividade integra o projeto Câmara Inclusiva, lançado em junho para identificar as adequações na acessibilidade dos prédios (principal e anexo) com a colaboração de entidades e o Comdef (Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência).

De acordo com a diretora da Apae, Nilva Toledo, atualmente a associação conta com cerca de 320 alunos, o que torna necessária a participação no projeto, "uma vez que a Câmara só poderia saber quais as possíveis modificações trazendo quem realmente precisa e nota as diferenças", analisou. “A vinda até aqui foi muito interessante para os alunos. Esperamos que, com o auxílio de outras entidades, o projeto possa crescer”, disse.

No início da visita, os alunos foram recepcionados pelos vereadores Pedro Kawai (PSDB) e André Bandeira (PSDB). Depois Bruno e as servidoras Daniela Caroba e Vanessa de Carvalho os levaram para conhecer o Setor de Protocolo e o Plenário Francisco Antônio Coelho. Lá, conheceram como funciona a votação dos vereadores e a Tribuna Popular.

No segundo andar, ainda no prédio principal, eles foram ao Salão Nobre, para o qual os cadeirantes foram de elevador e puderam analisar a condição do equipamento.

Quando saíram do prédio principal para irem no anexo, de acordo com Nilva, uma das dificuldades foi a locomoção dos cadeirantes devido a saída do estacionamento que contém alguns afundamentos no chão. “Tanto aí quanto na entrada do prédio anexo seriam necessárias lombadas mais largas para os cadeirantes transitarem melhor”, disse.

Os alunos conheceram a Escola do Legislativo e o corredor com gabinetes no 2º e 3º andar, onde a aluna Ingrid Fernanda Lourenço de Oliveira, 25, encontrou sua mãe, a cozinheira da Casa Gláucia Lourenço. “Achei muito interessante a vinda à Câmara. Já conhecia o prédio por causa da minha mãe, mas foi muito bom trazer os outros alunos”, disse Ingrid.

No último lugar que conheceram, os alunos foram à sala de reunião do 4º andar, onde fica o Departamento de Documentação e Transparência. Para a entrada de pessoas cadeirantes neste andar é necessária a utilização da plataforma de acesso. Para o cadeirante Leandro da Silva, 25, não houve muita dificuldade, comparado com os elevadores. “Acho que são muito pequenos, talvez se fosse uma cadeira de rodas maior não passaria”, reforçou.

A assistente social da Apae Roselene Maria Bassa também acompanhou os alunos e disse que o ponto principal para acessibilidade na Casa é realmente a questão dos deficientes motoros e idosos, pela questão das escadas, elevadores e a saída de um prédio para o outro. “Realmente acho que seria melhor um prédio só, mas como isso é difícil, poderiam melhoras essas questões. Iremos nos reunir com eles e anotar tudo que acharem que deve melhorar. O objetivo é colaborar cada vez mais com esse projeto”, advertiu. 

CÂMARA INCLUSIVA – O objetivo do projeto Câmara Inclusiva é tornar a Câmara de Vereadores de Piracicaba totalmente inclusiva, englobando todos tipos de deficiência ou dificuldades de mobilidade. Toda essa iniciativa tem o propósito de buscar soluções para que qualquer cidadão se sinta incluído nas atividades legislativas.

Essa é a quarta visita à Câmara com o projeto. O Espaço Pipa, a Avistar (Associação de Atendimento à Pessoas com Deficiência Visual de Piracicaba) e o CRP (Centro de Reabilitação de Piracicaba) já passaram pela Casa e analisaram possíveis mudanças.

Por meio de todos esses apostamentos, a Câmara irá fazer um cronograma com previsão de custos para com o intuito de elaborar um plano de ação para a inclusão.

Leia mais:
Espaço Pipa contribui com sugestões para tornar Câmara mais inclusiva

Câmara Inclusiva: Avistar sugere melhorias de acessibilidade

Câmara Inclusiva icentiva 'olhar político' sobre acessibilidade



Texto:  Ana Caroline Lopes
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337


Tópicos: Câmara InclusivaAndré BandeiraAry Pedroso JrCarlos Gomes da SilvaJosé LongattoLaércio Trevisan JrPaulo HenriqueRonaldo MoschiniGilmar RottaMatheus ErlerPaulo CamposPedro KawaiPaulo SerraRerlison RezendeIsac SouzaJonson OliveiraAdriana NunesLair BragaNancy ThameMarcos AbdalaOsvaldo SchiavolinAldisa MarquesWagner Oliveira

Notícias relacionadas