PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 7 DE ABRIL DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

20 DE MARÇO DE 2020

Trevisan cobra Prefeitura sobre trecho de 4 km da 'estrada da Ceagesp'


Pista recém-asfaltada está com "inúmeros buracos, que são tapados com material de péssima qualidade, provocando o esfarelamento da pavimentação".



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401 Salvar imagem em alta resolução

Requerimento de Trevisan foi aprovado na reunião ordinária desta quinta-feira



O vereador Laércio Trevisan Jr. (PL) questiona o Executivo sobre a situação da estrada Dorival Pardi (SPA-155/308), no trecho de quatro quilômetros entre a rodovia Cornélio Pires (SP-127) e a entrada da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) de Piracicaba.

No requerimento 230/2020, aprovado na 13ª reunião ordinária, nesta quinta-feira (19), Trevisan relata que motoristas reclamam das condições da pista recém-asfaltada, com "inúmeros buracos, que são tapados com material de péssima qualidade, provocando o esfarelamento da pavimentação". O trecho recebeu investimentos de R$ 4,3 milhões do governo paulista, enfatiza o parlamentar.

"Ressalta-se também a falta de sinalização de solo e dispositivos de segurança no trecho, tais como linha de bordo (faixa branca lateral entre a faixa de rolamento e o acostamento, para nortear o motorista), linha de fluxo oposto (contínua e tracejada, que separa os dois sentidos da via de mão dupla) e olho de gato (reflexivos de solo). Ou seja, é iminente o risco de acidentes", pontua o vereador.

"A Prefeitura, responsável pela contratação, programação, execução e supervisão das obras no trecho, tem conhecimento da situação da via, a qual vem apresentando inúmeros buracos e irregularidades na pavimentação asfáltica?", pergunta Trevisan, no requerimento.

Ele também questiona a quem compete a fiscalização e a execução dos serviços de tapa-buracos, já que a intervenção tem se mostrado ineficaz ao provocar o esfarelamento da pavimentação. O vereador segue com perguntas que mencionam as secretarias municipais de Trânsito e Transportes (Semuttran) e de Obras (Semob).

"Em relação à falta de sinalização de solo, a quem compete essa atribuição? Tais dispositivos, estavam previstos na obra? A Semuttran poderá realizar tais serviços? Quais providências estão sendo adotadas, ou que poderão ser adotadas, pela Semob e Semuttran em relação às reclamações dos usuários da estrada?", completa o vereador.



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: LegislativoLaércio Trevisan Jr

Notícias relacionadas