PIRACICABA, DOMINGO, 31 DE MAIO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

06 DE ABRIL DE 2016

Poder Público retoma reforma de escola infantil do Jardim Itaberá


O Executivo acatou o ofício de Ronaldo Moschini sobre a necessidade de continuar os trabalhos de ampliação da Escola “Prof. Walter Radamés Accorsi” que estavam parados



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Assessoria parlamentar (1 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Retomada as obras da escola “Prof. Walter Radamés Accorsi”

Retomada as obras da escola “Prof. Walter Radamés Accorsi”
Foto: Assessoria parlamentar (2 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Previsão de conclusão é para o primeiro semestre de 2016

Previsão de conclusão é para o primeiro semestre de 2016
Foto: Assessoria parlamentar (3 de 4) Salvar imagem em alta resolução

O requerimento de Moschini foi acatado pelo Executivo

O requerimento de Moschini foi acatado pelo Executivo
Foto: Assessoria parlamentar (4 de 4) Salvar imagem em alta resolução

Obras estavam paradas desde julho do ano passado

Obras estavam paradas desde julho do ano passado
Foto: Assessoria parlamentar Salvar imagem em alta resolução

Retomada as obras da escola “Prof. Walter Radamés Accorsi”



O Executivo acatou o requerimento nº 573/16 do vereador Ronaldo Moschini (PPS) para retomar as obras para ampliação da escola infantil municipal “Prof. Walter Radamés Accorsi”. Essa foi uma luta do vereador e da comunidade para assegurar mais uma conquista para o bairro Jardim Itaberá.

“É com grande alegria que recebemos a visita da assessoria do Dr Ronaldo em nosso bairro, nesta terça-feira (05), trazendo a informação da continuidade das obras e que a empresa ganhadora tem previsão para concluir os trabalhos neste primeiro semestre de 2016”, revelou um morador.

O processo estava travado desde o início de julho de 2015, prejudicando a reforma da escola. Segundo a resposta ao requerimento do parlamentar, com data de 24 de agosto de 2015, a obra foi abandonada pela Forma Engenharia – EPP que solicitou rescisão contratual sob alegação de acúmulo de despesas e diminuição de faturamento.

“Foi necessário encontrar uma solução para o impasse. Então abriram uma nova licitação para executar o restante da obra e a contrutora vencedora foi a Concivi. Foi instaurado um processo administrativo para apuração das irregularidades contra a mesma com base no artigo 24 da Lei das Licitações”, comentou Moschini.

A resposta da Semob (Secretaria Municipal de Obras), protocolada com o número 140150/2015, explica que a empresa reduziu o número de funcionários na obra antes de paralisar efetivamente a sua execução e a qual tinha total responsabilidade.

“Finalmente, a empresa vencedora estabeleceu o compromisso de terminar a reforma, a batalha foi árdua, mas valeu a pena cada esforço investido”, enfatizou o parlamentar.



Texto:  Redação


Educação Ronaldo Moschini

Notícias relacionadas