PIRACICABA, SÁBADO, 4 DE ABRIL DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

13 DE MARÇO DE 2020

Conselheiro defende autonomia do Fundeb


Francys Almeida da Silva usou a tribuna popular na 11ª reunião ordinária



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

“Eu sou o primeiro da minha família a ter um curso de direito, sabe através de que? da educação”, comentou o conselheiro.






Francys Almeida da Silva, conselheiro do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), usou a Tribuna Popular da Câmara de Vereadores de Piracicaba, nesta quinta-feira (12), na 11ª reunião ordinária para defender a autonomia do fundo.

O orador explicou na tribuna que o conselho, (que é eleito a partir de um pleito), possui a função de acompanhar e emitir parecer das contas. Ele criticou a escolha do presidente do conselho do Fundeb e a falta de autonomia do conselho nos pareceres da educação, que segundo ele, já chegam ao conselho “prontos”, no intuito de que os integrantes do conselho somente o assinem.

“Colocaram na presidência alguém que nunca compôs o conselho, não sabe como funciona o conselho, não investiga o que é o Fundeb e o parecer que o conselho deve fazer. O Fundeb é autônomo, segundo dispositivo legal, não é a minha vontade, não é a vontade de ninguém. É a lei”, afirmou Francys.

O munícipe disse que a questão foi encaminhada ao Ministério Público, para solicitar uma posição do organismo à situação que, segundo ele, “está se tornando insustentável”.

“Ao que parece, juntaram-se pessoas ali naquele conselho não para acompanhar, não para defender a educação, não para fazer o que importa, não para serem justos consigo mesmos, com sua própria história, mas para fazer o que se manda”, disse o orador.

O conselheiro também enalteceu os professores e suas contribuições à educação. Ele criticou os ataques aos profissionais nas redes sociais. Francys contou que ingressou na graduação de direito a partir do Enem e a educação promoveu transformações em sua vida. “Eu sou o primeiro da minha família a ter um curso de direito, sabe através do que? Da educação”, comentou.

Na tribuna, ele também comentou sobre a falta de encaminhamento total de recurso de R$ 170 milhões ao Fundeb, do qual 60% seria direcionado para o salário, e 10% para a capacitação, visto que foi encaminhado recurso somente para o salário.

“Enquanto nós ficarmos calados, sem lutar pela educação, pela mudança de verdade, nada vai mudar”, disse Francys.



Texto:  Larissa Souza
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Revisão:  Rodrigo Alves - MTB 42.583
Imagens de TV:  TV Câmara


Tópicos: Tribuna Popular

Notícias relacionadas