PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 8 DE JULHO DE 2020
Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

06 DE MARÇO DE 2020

Capitão Gomes detalha política de reajuste da tarifa de água na cidade


Na tribuna, vereador apresentou planilhas com as correções aplicadas em cada faixa de consumo e os fatores que levaram ao aumento da tarifa neste ano.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Capitão Gomes ocupou a tribuna durante a reunião ordinária desta quinta-feira






Ao ocupar a tribuna durante a 9ª reunião ordinária, nesta quinta-feira (5), o vereador Carlos Gomes da Silva, o Capitão Gomes (PP), apresentou uma série de números para detalhar a política de reajuste da tarifa de água em Piracicaba adotada pelo Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto).

Ele exibiu no telão do plenário planilhas com as correções aplicadas em cada faixa de consumo e os fatores que levaram ao aumento da tarifa neste ano. Em vigor a partir deste mês, o reajuste médio, de 4,58%, é superior aos 4,48% registrados em 2019 pelo IPCA, tido como o índice de inflação oficial do país.

Para a faixa de consumo de até 10 mil metros cúbicos por mês, que é o mínimo pago pelo consumidor em Piracicaba, a tarifa de água passou de R$ 18,90 em 2019 para R$ 19,77 em 2020, alta de 4,60%. O número de ligações que se enquadram nessa faixa de consumo é quase metade do total: aproximadamente 74 mil das 156,8 mil.

Nas demais faixas de consumo (de 11 mil a 15 mil metros cúbicos; de 16 a 20; de 21 a 25; de 26 a 30; de 31 a 40; de 41 a 50; de 51 a 80; e acima de 80), os reajustes aplicados variaram entre 4,50% e 4,65%.

Em relação aos fatores que incidiram no aumento dos custos do serviço, o gasto do Semae com produtos químicos, materiais de consumos e combustíveis subiu 45,21% em um ano: de um total de R$ 14,7 milhões entre janeiro e novembro de 2018 para R$ 21,3 milhões no mesmo período de 2019. Com a energia elétrica, também houve aumento na comparação entre os dois períodos: alta de 9,02%, de R$ 28,8 milhões para R$ 31,4 milhões.

"É por isso que tem que reajustar [a tarifa de água]: se aumentam a energia elétrica e os insumos, logicamente o Semae precisa fazer uma correção, de 4,58%, que ficou pouco acima da inflação", disse Capitão Gomes.

O vereador também exibiu números de contribuintes que pagam a tarifa social, cujo desconto é de 50% para a faixa de consumo de até 10 mil metros cúbicos e de 25% para a faixa de 11 mil a 20 mil metros cúbicos. São 225 ligações beneficiadas na faixa de consumo de até 10 mil metros cúbicos, 202 na de 11 mil até 15 mil, 129 na de 16 mil a 20 mil e 73 na de 21 mil a 37 mil, totalizando 629 consumidores.

Capitão Gomes comparou o valor pago na faixa de consumo de até 10 mil metros cúbicos em Piracicaba com outras cidades do Estado e defendeu que o município tem uma das menores tarifas do país. Ele rebateu crítica feita pelo vereador Laércio Trevisan Jr. (PL) de que os reajustes na tarifa de água durante os governos do PSDB em Piracicaba superam 130%.



Texto:  Ricardo Vasques - MTB 49.918
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343
Imagens de TV:  TV Câmara


Legislativo Carlos Gomes da Silva

Notícias relacionadas