PIRACICABA, TERÇA-FEIRA, 17 DE OUTUBRO DE 2017 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

11 DE OUTUBRO DE 2017

Erler reúne moradores e presidente da Emdhap sobre obras no Vida Nova


Famílias aguardam entrega do condomínio, prometida para outubro de 2015. Emdhap espera providências da Caixa Federal



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Laura Leite (estagiária) (1 de 7) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Laura Leite (estagiária) (2 de 7) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Laura Leite (estagiária) (3 de 7) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Laura Leite (estagiária) (4 de 7) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Laura Leite (estagiária) (5 de 7) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Laura Leite (estagiária) (6 de 7) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Laura Leite (estagiária) (7 de 7) Salvar imagem em alta resolução
Foto: Laura Leite (estagiária) Salvar imagem em alta resolução

“Uma ponte entre a população e as secretarias municipais”. Para o presidente da Câmara de Vereadores de Piracicaba, Matheus Erler (PTB), essa também é uma das funções do Legislativo. Com esse objetivo, ele recebeu na manhã de segunda-feira (11) o presidente da Emhap (Empresa Municipal de Desenvolvimento Habitacional de Piracicaba), João Manoel dos Santos, e integrantes do grupo ‘Fala Pira’, para discutir sobre os problemas enfrentados pelas famílias que aguardam a conclusão das obras do Residencial Vida Nova, empreendimento do Minha Casa Minha Vida. 

Com 1.200 apartamentos, a entrega das chaves deveria ter acontecido em outubro de 2015. Na época, a Prefeitura Municipal informou que a paralisação da obra foi feita por parte da construtora responsável e que as medidas previstas dentro do programa foram adotadas. Em agosto deste ano, a Superintendência Regional da CEF (Caixa Econômica Federal) em Piracicaba concluiu o processo de seleção para a escolha da empreiteira que vai concluir as obras, porém, após dois meses da seleção, o Ministério das Cidades ainda não autorizou a assinatura do novo contrato. 

Segundo a piracicabana Milene Moraes, uma das selecionadas para receber o apartamento, o adiamento já foi feito duas vezes e o atraso dificulta a vida de várias famílias, que aguardam o imóvel. “Temos inúmeros problemas no dia a dia, principalmente quando falamos de situação financeira, o que queremos é entender o processo. Temos um grupo com 400 pessoas que aguardam respostas”, comentou. 

Fruto de convênio com a Caixa, que terceiriza a obra, a Emdhap é responsável pelo cadastramento dos interessados ao empreendimento. Segundo o presidente da instituição, João Manoel dos Santos, a fiscalização e a cobrança não são de alçada da entidade. “É muito importante conversarmos com a população, para que eles entendam de quem é a responsabilidade. A Emdhap é responsável pelo cadastramento e estamos buscando cada vez mais melhorar o atendimento da população”, comentou. 

Para a continuidade do diálogo, Erler sugeriu nova reunião, mas com técnicos da Emdhap e representantes da Caixa. “Precisamos levar informação para a população e fazer com que todos entendam os problemas, os responsáveis e de que forma é possível resolver. Os moradores vão criar uma Comissão, coletar dúvidas e depoimentos, após isso, vamos marcar uma nova reunião com todos os envolvidos”, defendeu.



Texto:  Assessoria parlamentar
Revisão:  Erich Vallim Vicente - MTB 40.337


Tópicos: LegislativoMatheus Erler

Notícias relacionadas