PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO DE 2018 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

01 DE NOVEMBRO DE 2017

Dia do Servidor Público homenageia Monica Faria, com 30 anos de Câmara


Funcionária do Departamento Legislativo é a servidora há mais tempo na Casa.



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (1 de 3) Salvar imagem em alta resolução

Monica Rodrigues Faria foi a servidora da Câmara escolhida por Wagnão para ser homenageada no Dia do Servidor Público

Monica Rodrigues Faria foi a servidora da Câmara escolhida por Wagnão para ser homenageada no Dia do Servidor Público
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (2 de 3) Salvar imagem em alta resolução

Monica Rodrigues Faria foi a servidora da Câmara escolhida por Wagnão para ser homenageada no Dia do Servidor Público

Monica Rodrigues Faria foi a servidora da Câmara escolhida por Wagnão para ser homenageada no Dia do Servidor Público
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 (3 de 3) Salvar imagem em alta resolução

Monica Rodrigues Faria foi a servidora da Câmara escolhida por Wagnão para ser homenageada no Dia do Servidor Público

Monica Rodrigues Faria foi a servidora da Câmara escolhida por Wagnão para ser homenageada no Dia do Servidor Público
Foto: Davi Negri - MTB 20.499 Salvar imagem em alta resolução

Monica Rodrigues Faria foi a servidora da Câmara escolhida por Wagnão para ser homenageada no Dia do Servidor Público


Histórias para contar não faltam para Monica Rodrigues Faria, 54, a servidora com mais tempo de trabalho na Câmara de Vereadores de Piracicaba. Com um semblante apressado, de correria, mãos entrelaçadas, roçando os dedos, ela falou de sua trajetória na Casa e a dedicação de horas e noites viradas em prol do Poder Legislativo.

Paulistana, com passagem pelo litoral, Monica morava com os tios quando se mudaram para Piracicaba. Estudava e fazia teatro até descobrir, pelo ex-vereador Sidney Bonachela, a oportunidade da vaga para cargo em comissão na Câmara.

"Como eu sempre escrevi bem, tenho uma boa leitura e dicção, acabei fazendo provas e fui escolhida para trabalhar aqui", relembra. Monica ingressou na Casa em agosto de 1987, com atribuições semelhantes às de um funcionário efetivo. "Tínhamos todas as funções e carga diária de 8 horas de trabalho, além das sessões que fazíamos. Já cheguei a sair daqui 4h40 da madrugada", conta a servidora, que se tornou efetiva em 1994, após ser aprovada em concurso público.

RECORDAÇÕES - Dentre os momentos que Monica gostaria de ter agido diferente, se pudesse voltar no tempo, está o de quando perdeu o amigo Eduardo Rufino, que foi diretor do Departamento Legislativo. "Quando ingressei aqui, ele já era diretor do departamento, mas entrou como guardinha e evoluiu até o cargo", conta. "Era um cara fantástico, que me ensinou a trabalhar no Legislativo. Tudo que aprendi eu devo a ele. Considerava o Eduardo como um irmão: uma pessoa carinhosa, generosa, paciente para ensinar e explicar."

Eduardo morreu após um acidente de carro, no mesmo dia em que marcou de ir ao Baile do Havaí com Monica. Sem saber que ele estava no hospital, ela foi avisada no dia seguinte do ocorrido, "deu meia-noite e ele não apareceu, não dava satisfação, e não sabíamos o que estava acontecendo. Às 6h30 da manhã, bateram na minha casa dizendo que ele tinha se acidentado na estrada", recorda.

Já entre as lembranças boas, Monica gostaria de reviver a Câmara de tempos antigos, quando todos sabiam o nome de todos. "Todo mundo se conhecia! Hoje não sabemos o nome, não conversamos, não interagimos. Disso eu sinto falta, de uma amizade maior."

Com passagens pelos departamentos Jurídico, Administrativo e de Comunicação, Monica conta ter "se encontrado" no Legislativo. Trabalhando com mais seis funcionários e cinco estagiários, ela diz se relacionar como uma família. "Todo mundo briga, lava roupa suja e se gosta", resume.

Formada tecnóloga de administração legislativa, Monica não se imagina fora da Câmara, mas pensa em se aposentar em 2018 e, após isso, se dedicar a alguma causa animal. "Paralelamente ao meu trabalho na Casa, eu resgato animais em perigo, adoto, doo. Antes de entrar aqui, eu tinha o sonho de ser bióloga marinha, arqueóloga, mas a vida me empurrou para trabalhar em escritório", diz ela, que também cogita a possibilidade de abrir um brechó ou uma loja de antiguidades.

Os mais de 30 anos de trabalho no Legislativo piracicabano tornaram Monica a funcionária hoje com mais tempo de Câmara. Por essa razão, ela foi escolhida pelo vereador Wagner Oliveira, o Wagnão (PHS), para ser homenageada na solenidade em comemoração ao Dia do Servidor Público, realizada nesta terça-feira (31), no salão nobre. "De todas as histórias que tenho para contar, daria para escrever um livro sobre a Câmara", diz Monica, desde terça-feira com um novo capítulo a acrescentar.



Texto:  Lucas Lima
Supervisão de Texto e Fotografia: Valéria Rodrigues - MTB 23.343


Tópicos: Câmara

Notícias relacionadas