PIRACICABA, QUINTA-FEIRA, 14 DE DEZEMBRO DE 2017 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

15 DE AGOSTO DE 2017

Crise na Unimep: Câmara terá reunião pública na 5ª-feira


Encontro será realizado às 14h do dia 17, no Salão Nobre Helly de Campos Melges



EM PIRACICABA (SP)  

Foto: Fabrice Desmonts - MTB 22.946 Salvar imagem em alta resolução

Requerimento de urgência foi aprovado nesta segunda-feira


A Câmara realizará na próxima quinta-feira, 17, às 14h, reunião pública para discutir a crise da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba). O encontro, aberto ao público e à comunidade acadêmica, assim como às entidades, foi solicitado pelo presidente da Casa, Matheus Erler (PTB), e acontecerá no Salão Nobre Helly de Campos Melges. São coautores da iniciativa os vereadores Jonson Sarapu de Oliveira (PSDB), Paulo Roberto de Campos (PSD) e Paulo Henrique Paranhos Ribeiro (PRB), integrantes da Comissão de Educação, Esportes, Cultura, Ciência e Tecnologia.

A reunião pública é fruto do requerimento 500/2017, apresentado por Erler nesta segunda-feira, 14, durante a 43ª reunião ordinária, e aprovado pelos parlamentares com urgência. No texto, o presidente da Câmara relembra os episódios recentes envolvendo a universidade, como a assembleia de 31 de julho que aprovou a greve dos professores, iniciada no dia 8 deste mês, além da exoneração do reitor Márcio de Moraes, no dia 11.

O vereador cita os principais fatos noticiados na imprensa local: a alteração no sistema interno que gerencia a escola, que bloqueou a realização da matricula do corpo discente e, entre outros problemas, impossibilitou a compra de passes escolares, registro em estágio obrigatório, além do atraso de salários e férias de professores e funcionários.

O novo sistema também inviabilizou a emissão de boletos, causando a perda de descontos dos estudantes, a emissão de históricos escolares, a fixação de horários e a adesão a seguros de vida para estagiários. Além de informações imprescindíveis ao Fies e ao Prouni estarem inacessíveis, professores não têm acesso às suas turmas de alunos, o registro de ponto e de frequência às aulas está suspenso, o que impossibilitou os coordenadores de atuar junto à gestão de seus cursos.

O presidente da Câmara cita ainda que a greve pode prejudicar o encerramento do ciclo escolar dos alunos dos últimos semestres, o que atrapalhará o início de suas vidas profissionais.

“A Unimep é uma instituição particular ligada à Igreja Metodista, porém, toda essa situação de instabilidade afeta a cidade de Piracicaba como um todo e esta Casa não pode se furtar de trazer o debate junto com todas as forças vivas para discutir a situação e auxiliar, de algum modo, a solução desses problemas, sempre visando a autonomia da Unimep e invocando sua história pelas lutas democráticas e na excelência do ensino lá ministrado, tornando-a única e referência como instituição de ensino”, declara Erler.

No requerimento, o presidente da Câmara informa que as entidades locais receberão convites para participar do encontro, entre elas Acipi, Simespi, Coplacana, Conespi, APM, Crea/SP, Conselho Regional de Odontologia, Conselho Regional de Farmácia, OAB-Piracicaba, Conselho Regional de Psicologia, Sindicato dos Contadores, Conselho Regional de Fisioterapia, Adunimep, Sinpro, Associação dos Funcionários do Instituto Educacional Piracicabano e Sindicato dos Auxiliares em Administração Educacional de Piracicaba.

Também menciona o convite ao prefeito Barjas Negri (PSDB) e aos deputados federal Antônio Carlos Mendes Thame (PSDB) e estadual Roberto Morais (PPS). 



Texto:  Rodrigo Alves - MTB 42.583


Tópicos: LegislativoPaulo HenriqueMatheus ErlerPaulo CamposJonson Oliveira

Notícias relacionadas